Várias fontes apontam para uma deterioração na situação dos cristãos na Argélia, particularmente na região de Kabyle, freqüentemente considerada como sendo um lugar onde o evangelismo ocorre.

Em dezembro passado, o diretor cristão de uma escola primária de Kabyle foi suspenso pelo Ministério de Educação. Segundo o ministério, “o diretor usou a escola para estimular o evangelismo cristão e não seguiu o currículo escolar”.

O Ministro para Assuntos Religiosos, Bouabdallah Ghoulamallah, ficou contente com a decisão. O diretor nega todas as acusações.

Em outro incidente, foram levadas cinco pessoas recentemente para a Corte de Tizi-Ouzou, em Kabylie, acusadas de evangelizar.

Os eventos realçam a aplicação da lei proselitista (relacionada a locais de adoração e culto) aprovada em setembro de 2006 e que está começando a ser aplicada na Argélia.

A lei busca prevenir a conversão de muçulmanos ao cristianismo e exige penas de prisão e multas para qualquer um que “incitar, forçar ou usar meios de sedução com uma visão diferente para converter muçulmanos a outra religião” ou que “faz, vende ou distribui documentos impressos ou materiais visuais auditivos ou qualquer outra mídia que busca arruinar um muçulmano na fé dele”.

Muitos temem o fechamento dos lugares não-registrados de culto na Argélia, o que seria contrário à Constituição do país, que garante liberdade de consciência e opinião (artigo 36) como também liberdade de expressão, associação e assembléia (artigo 41).

Pontos de oração:

• Ore para que o diretor da escola tenha uma audiência justa no Ministério de Educação

• Ore pelos cinco cristãos que enfrentam acusações atualmente

• Interceda por todos os cristãos da Argélia, que Deus os encha de sabedoria para lidar contra as leis anti-evangelismo e anticonversões

Fonte: Portas Abertas