A leitura contextual da Bíblia é muito importante para desfazer mitos e tabus sobre a sexualidade, disseram a reitora da Universidade Bíblica Latino-Americana (UBL), Violeta Rocha, e a teóloga brasileira Genilma Boehler.

Elas participaram de seminário para pastores e pastoras promovido pela Igreja Luterana Costarricense (ILCO), realizado no marco dos encontros de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos em matéria de sexualidade. O seminário motivou amplo debate a partir das perspectivas bíblica, legal, teológica, ética e pastoral.

O pastor Abel Moya, coordenador da Comissão Igreja e Sexualidade, abordou o processo de construção hegemônica da sexualidade na cultura ocidental. Disse que no Ocidente foi imposta uma sexualidade hetero excludente, misógina, opressora, homofóbica que coloca obstáculos dos direitos humanos das mulheres, as populações de gays e lésbicas, e das masculinidades alternativas.

O advogado José Martínez apresentou um amplo percurso pelo estado atual da legislação costarricense, aprofundando temas sensíveis como fecundação in vitro, aborto e uniões entre casais do mesmo sexo.

O marco legal é insuficiente, ambíguo e contraditório em relação com as aspirações da sociedade, a Constituição Política e as normas internacionais em matéria de Direitos Humanos.

O pastor e teólogo alemão Martin Hoffmann dissertou sobre a necessidade de promover uma ética baseada na vida abundante e diversa frente às normas fechadas que impediram a realização plena das chamadas “minorias sexuais”.

[b]Fonte: ALC[/b]