O teólogo brasileiro Leonardo Boff, um dos pais da Teologia da Libertação, visitará, em 1º de junho, a paróquia de San Carlos Borromeo, em Madri, que pode ser fechada por ordem do arcebispado da capital da Espanha.

A assembléia da paróquia entregou na semana passada na sede do arcebispado 2 mil novas assinaturas contra o fechamento do local e confirmou a visita de Boff a uma comunidade católica que, nas últimas décadas, se tornou conhecida por seu apoio aos marginalizados.

O porta-voz da assembléia, Juan Carlos Sánchez, confirmou à Efe que o teólogo brasileiro “irá” a San Carlos Borromeo para “ver a realidade da paróquia e do bairro e oferecer seu apoio à causa” da igreja do bairro de Entrevías.

Boff participará das conversas e conferências que ocorrerão no templo, nos dias 1º, 2 e 3 de junho, e do “festival e das atividades para as crianças” previstas para o fim de semana.

Sánchez disse que a organização já entregou um total de 10 mil assinaturas no arcebispado, durante cinco sextas-feiras consecutivas, o que representa um “sinal de apoio” de cidadãos, coletivos, paróquias e comunidades cristãs.

A assembléia convocou hoje um “encontro de oração” na igreja de Santa María del Buen Aire, no bairro vizinho de Moratalaz, que terá a participação de várias paróquias, indivíduos e comunidades cristãs sob o lema “Unidos na diferença”.

“Com esta iniciativa, tentamos evidenciar que, na Igreja, podem conviver pessoas com diferentes idéias sob uma fé comum”, disse o porta-voz.

A decisão do arcebispo de Madri Antonio María Rouco Varela é dissolver a paróquia de San Carlos Borromeo e que um centro da organização Cáritas fique responsável pelo trabalho social na região, o que provocou divergências entre os espanhóis.

Os paroquianos denunciam que a ação do arcebispado é, na realidade, um ataque contra os três sacerdotes a cargo da paróquia devido a sua falta de respeito às normas litúrgicas básicas.

Os párocos celebram a missa com roupas comuns, abrem as portas da igreja para o culto islâmico (dado o grande número de imigrantes desta religião que vivem no bairro), com missas cristão-muçulmanas, e oferecem absolvições coletivas.

Em algumas ocasiões, segundo os paroquianos, os sacerdotes chegaram a substituir as hóstias consagradas por rosquinhas, mais nutritivas durante o inverno.

Fonte: EFE