Cadeia
Cadeia

Um líder da igreja indonésia, Abraham Ben Moses, de 52 anos, foi acusado de blasfêmia e pode passar cinco anos na prisão. Ele foi preso em casa na semana passada na cidade de Tangerang, em Java. Moses foi gravado em um vídeo em que compartilhava sobre a fé cristã com um taxista.

De acordo como a agência de notícias UCAN, no vídeo o líder cristão aparece falando sobre casamento no Alcorão e diz que a vida do profeta Maomé era inconsistente com seus ensinamentos. Ele também perguntou ao motorista se ele queria se converter ao cristianismo. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais.

Esse é o primeiro caso de prisão por blasfêmia no país. E foi aberto depois de uma denúncia da segunda maior organização islâmica no país, Muhammadiyah. De um total de 350 famílias em Tangerang, cerca de vinte não são muçulmanas, e os líderes da comunidade querem que os não-muçulmanos façam seus cultos apenas dentro de casa e sejam proibidos de convidar muçulmanos. Também querem que eles tenham que pedir permissão com três dias de antecedência para usar alto-falantes em seus cultos. O delegado respondeu ao pedido dos líderes comunitários dizendo que “as atividades dos não-muçulmanos são legais desde que sejam feitas dentro das regras” e que garantiriam a segurança de todos os residentes.

Em uma mensagem conjunta, líderes católicos e protestantes expressaram preocupação com a unidade da Indonésia como nação, que corre o risco de ser quebrada. Em seu discurso no Dia dos Direitos Humanos (10 de dezembro), o presidente Joko Widodo reconheceu que ainda tem que cumprir sua promessa de melhorar os direitos humanos no país.

A Indonésia ocupa a 46ª posição na atual Lista Mundial da Perseguição e nossos irmãos indonésios precisam de nossas orações para permanecer firmes diante da perseguição. Ore também por sabedoria, graça e força para o irmão Abraham Ben Moses, que poderá enfrentar prisão e julgamento.

Fonte: Missão Portas Abertas