O presidente da Associação Nacional de Evangélicos dos Estados Unidos, pastor Ted Haggard (foto), que congrega 30 milhões de membros, renunciou depois de ser acusado de pagar para ter relações sexuais com outro homem nos últimos três anos.

O reverendo Ted Haggard, conhecido por ser um ferrenho opositor do casamento gay, anunciou que estava se afastando também do comando de sua igreja, a New Life, que reúne 14 mil fiéis, até que o caso seja resolvido. Disse ainda que nunca teve um relacionamento homossexual e que era fiel a sua esposa.

Pai de cinco filhos, Haggard assumiu a presidência da associação em 2003 e é um dos cristãos evangélicos mais influentes dos Estados Unidos.

O reverendo promoveu campanhas contra as propostas de legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos. Durante as eleições parlamentares da próxima semana, diversos Estados americanos terão votações simultâneas sobre o tema.

As acusações ao reverendo Haggard foram feitas por um homem durante um programa de rádio em Denver, no Colorado. Mike Jones afirmou que, nos últimos três anos, foi pago para manter relações sexuais com Haggard quase todos os meses.

“Nunca tive um relacionamento gay com alguém. Sou fiel à minha esposa”, disse ele. Haggard disse que se afastaria “de maneira voluntária” da liderança evangélica para se defender das acusações.

Jones afirmou ainda que estava revelando detalhes do relacionamento devido à posição pública do reverendo Haggard a respeito do casamento homossexual.

“Me deixou zangado o fato de alguém que se opunha tão fortemente ao casamento gay manter relações homossexuais atrás dos bastidores”, disse Jones à agência de notícias Associated Press.

BBC Brasil e Veja Online