Pela segunda vez em poucas semanas, extremistas hindus agridem líderes cristãos diante de câmeras de TV. Em 7 de maio, dois evangelistas foram atacados por uma multidão de extremistas hindus após uma cerimônia de batismo na vila de Shapur, em Maharashtra.

O pastor Ajit Belavi, 35, e o pastor Ramesh Gopargode, 31, do Grupo de Oração Amigos Missionários, tinham ido à vila para conduzir uma cerimônia de batismo de sete pessoas. Os cristãos locais alegam que alguns dos que tinha pedido para ser batizados eram na verdade pessoas infiltradas pelas organizações fundamentalistas hindus, VHP e Bajrang Dal, em um plano premeditado de envolver os evangelistas em acusações falsas de conversão forçada.

Um canal de TV privado, IBN7, filmou a agressão aos dois pastores.

Depois de agredidos e abusados, eles foram levados à delegacia de Kolhapur onde supostamente os sete convertidos alegraram que não foram informados da “cerimônia de conversão” e que se sentiam “enganados” pelos evangelistas.

Em vez de fichar os agressores, a polícia prendeu e fichou os pastores por fraude e por ferir sentimentos religiosos, acusando-os sob as seções 295 A e 420 do código penal. Um advogado nomeado está tratando da fiança, e é provável que eles sejam libertados no dia 11 de maio.

A Portas Abertas está em contado com cristãos locais, incluindo o pastor Vijaykumar Philip, 49, que trabalha a 25 quilômetros do local do incidente, e está feliz por poder ajudar os dois pastores. Além disso, Abraham Mathai, vice-presidente da Comissão de Minorias do Estado de Maharashtra, agendou um visita para se encontrar com o pastor Vijaykumar e os oficiais de polícia envolvidos, a fim de ajudar a buscar justiça para os pastores presos.

O pastor Vijaykumar disse que a polícia concordou em registrar uma queixa contra os radicais hindus que atacaram os pastores Ajit e Ramesh. No dia 8 de maio, onze pessoas foram presas, no entanto, foram libertadas sob fiança logo em seguida.

Apesar do insistente questionamento, as autoridades não explicaram porque os agressores foram postos em liberdade sob fiança tão facilmente, enquanto os dois pastores permanecem presos.

O pastor Vijaykumar disse à Portas Abertas que a situação dos missionários em particular e dos cristãos em geral está ficando cada vez mais difícil. Ele vem enfrentando ameaças desde dezembro de 2003, mas se sente chamado por Deus para o ministério em Kolhapur e região e por isso decidiu ficar.

Ele também foi agredido e quase morreu, em 2003. Os agressores eram extremistas hindus que houve atuam junto a várias organizações como o Bajrang Dal, o Shiv Sena, o VHP eo Hindu Ekta Manch. O pastor Vijaykumar sobreviveu à agressões somente pela graça de Deus, e, embora falsas acusações tenham sido lançadas contra ele na ocasião, uma queixa apresentada contra os fundamentalistas encerrou o caso.

Fonte: Portas Abertas