Dirigentes cristãos e muçulmanos de 20 países árabes anunciaram no Cairo a criação da Chamama, uma rede de apoio para pessoas portadoras do vírus da aids, que nasce com o objetivo de desenvolver programas de combate e prevenção à doença.

A iniciativa – a primeira do gênero no mundo árabe – foi apresentada durante o encerramento do 2º Fórum Regional para Líderes Religiosos em Resposta à Aids, aberto no dia 6 na capital egípcia, organizado pela ONU e apoiado pela Liga Árabe.

Trezentos líderes religiosos assinaram o documento, que determina a aplicação de seis pontos para a luta contra a doença e suas conseqüências culturais e sociais, tanto em nível nacional como regional.

Os signatários se comprometem a expandir a nova rede através do aumento no número de membros, a promoção da castidade e a dignidade, além da elaboração de programas que cheguem aos grupos mais vulneráveis.

Os líderes religiosos fornecerão apoio, conselho espiritual e cuidados gerais para as famílias e as pessoas que convivem com os portadores da doença.

Além disso, entre os seis pontos que o documento estabelece, foi estabelecida a necessidade de promover políticas dirigidas às origens do problema, que inclui o combate à pobreza.

O recém-criado Chamama se une a outras instituições de apoio, como a Rede Árabe Regional contra a aids e a Coalizão para a Aids na Região Árabe, ressalta o texto.

Fonte: EFE