Amr Mussa alertou aos países estrangeiros que não usem os ataques aos cristãos como pretextos para interferir na região.

O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa, advertiu neste sábado em Bagdá contra qualquer “utilização” pelas potências estrangeiras dos ataques contra cristãos no Oriente Médio, como pretexto de ingerência nos assuntos da região.

“Utilizar estes acontecimentos para intervir é algo que não podemos aceitar”, declarou Mussa em uma coletiva de imprensa em Bagdá, em resposta a uma pergunta sobre o risco de que estes ataques sejam um pretexto para interferências por parte de potências estrangeiras.

“É preciso ser firme quando se dialoga com as potências que têm algo a dizer a respeito (…)”, disse, por sua vez, o chefe da diplomacia iraquiana, Hoshyar Zebari.

“O que aconteceu nos preocupa muito”, acrescentou, referindo-se ao ataque contra a igreja copta de Alexandria (Egito), que deixou 21 mortos na madrugada de 1 de janeiro, e a uma série de ataques contra cristãos do Iraque nos últimos meses.

Os cristãos “formam parte do mundo árabe e é preciso protegê-los”, disse o ministro.

[b]Fonte: AFP[/b]