A Bíblia é um livro de palavras divinamente inspiradas. Esse consenso é posto à prova em “O que Jesus disse? O que Jesus não disse?”, lançamento da Prestígio Editorial.

Resultado de ampla pesquisa do maior especialista em Bíblia do mundo, Bart D. Ehrman, o livro revela como e porque muitas das cópias dos manuscritos gregos do Novo Testamento, escritos há mais de 1.800 anos, foram alteradas, na maioria das vezes intencionalmente, por seus diversos copistas.

O estudo inédito, resultado de 30 anos de pesquisa, é apresentado agora em linguagem compreensiva a todas as pessoas para revelar as diferenças entre os originais em grego, suas cópias e as traduções para as línguas modernas a que temos acesso. O autor aponta ainda considerações acerca das diversas interpretações que podem ser feitas de um mesmo texto, o que acaba por influenciar as traduções. O leitor irá constatar que, mesmo entre os manuscritos, há contradições em passagens sobre a vida de Jesus. “É uma mudança radical da leitura da Bíblia como um documento para nossa fé, vida e futuro, vê-la como um livro humano, com muitos pontos de vista humanos, que diferem entre si sem fornecer uma solução infalível de como devemos viver”, propõe o autor.

Exemplos de contradições nas Escrituras não faltam no livro. A respeito do dia da crucificação de Jesus, por exemplo, Marcos (Marcos 14,12; 15,25) diz que foi um dia depois da ceia pascal, enquanto João (João 19,14) diz que ele morreu um antes da ceia. Alguns erros são resultado das crenças e dos ideais dos copistas, que alteraram os textos para ajustá-los aos seus interesses. Outros, não intencionais, advêm de problemas presentes em qualquer trabalho de tradução. “Estudando grego, logo comecei a ver que o sentido completo e as nuances do texto original do Novo Testamento só podem ser plenamente apreendidas quando ele é lido e estudado na língua original”, avalia Bart.

“O que Jesus disse? O que Jesus não disse?” apresenta o resultado de um trabalho de detetive, em que o autor esquadrinhou os originais e suas diversas cópias usando como metodologia critérios de crítica textual. Um livro que deve atrair leigos e interessados em estudos bíblicos, história, crítica textual e todos que queiram se aproximar dos originais das Escrituras e saber como e porque elas mudaram tanto ao longo dos séculos.

Sobre o autor

Dr. Bart D. Ehrman é um dos mais importantes e polêmicos teólogos contemporâneos. Seus estudos focam na crítica textual do Novo Testamento e nos primórdios do cristianismo. Além de freqüentemente levantar questões sobre ortodoxia e heresia. Atualmente é chefe da cadeira de Estudos Religiosos da Universidade da Carolina do Norte (EUA), onde ministra aulas há 15 anos. Apesar de ter tido uma intensa formação evangélica, hoje, ele se considera agnóstico. Ehrman tem 19 livros publicados acerca do cristianismo.

Fonte: Bem Paraná