O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou nesta quarta-feira o primeiro plano da América Latina para conter a disseminação do HIV entre as mulheres e pediu o fim da hipocrisia ao tratar o tema no país.

O presidente defendeu um debate aberto sobre sexualidade com os jovens ao apresentar a ação, que visa a dobrar o percentual de exames de HIV entre mulheres e aumentar a distribuição de preservativos femininos em 6 milhões até 2008.

“Estamos dispostos a tomar todas as medidas para evitar (o crescimento da Aids), especialmente no momento em que a Aids está crescendo entre as mulheres heterossexuais”, disse o presidente durante o evento na Cidade do Samba, no Rio de Janeiro, onde também foi lançada uma campanha de prevenção da Aids nos Jogos Pan-Americanos.

“Vamos fazer o combate à hipocrisia no país. Preservativo tem que ser doado e ensinado como usar. Sexo tem que ser feito e ensinado como fazer, somente assim teremos um país livre da Aids”, afirmou o presidente.

Lula também lembrou o Dia Internacional da Mulher, celebrado todo ano em 8 de março, e sugeriu que em 2008 a Secretaria Especial da Mulher, comandada por Nilcéia Freire, marque a data com o lema de combate à hipocrisia.

“No ano que vem, Nilcéia, você poderia no Dia Internacional da Mulher fazer um dia de combate à hipocrisia que está estabelecida na cabeça de todos nós. Hipocrisia porque muitas vezes nós deixamos de debater os temas da forma verdadeira por puro preconceito, ‘minha mãe não gosta, meu pai não gosta, a igreja não gosta”‘, afirmou.

O presidente, que estava acompanhado da primeira-dama, Marisa, afirmou ainda: “É preciso melhorar a massa encefálica dentro do cérebro para as pessoas compreenderem que as mulheres devem ser respeitadas”, disse.

“Não tem como carimbar na testa de um adolescente quando é momento de começar a fazer sexo. Sexo é uma coisa que todo mundo gosta, é uma necessidade orgânica do ser humano, portanto o que nós precisamos fazer é ensinar”, disso o presidente, que acabou improvisando o discurso.

Devido ao calor, os termômetros marcavam quase 40 graus, Lula tirou a gravata, o paletó e arregaçou as mangas. O presidente abriu um sorriso quando foram ligados os ventiladores instalados no local.

O chamado Plano de Enfrentamento da Feminização da Aids prevê a redução da transmissão vertical (da mãe para o bebê) de 4 por cento para menos 1 por cento em 2008, ampliar o percentual de mulheres que realizam o teste de HIV de 35 por cento para 70 por cento, aumento na distribuição de preservativos femininos de 4 milhões em 2007 para 10 milhões em 2008 e combater a violência doméstica contra as mulheres, entre outras medidas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, houve um aumento de 44 por cento na infecção de mulheres por HIV de 1995 a 2005.

Já a campanha contra Aids para os Jogos Pan-Americanos, que serão realizados no Rio de 13 a 29 de julho, terá o slogan “Vista-se nos Jogos”. As autoridades decidiram utilizar a imagem saudável dos atletas, especialmente as mulheres, para conscientizar a população da importância da prevenção.

“Daqui até o Pan, e sobretudo durante os Jogos, faremos um grande esforço para divulgar o uso do preservativo”, disse o ministro dos Esportes, Orlando Silva. “Queremos que o público tenha a mesma motivação que levará aos atletas para combater a Aids”, afirmou.

No Pan, vão ser distribuídos kits explicativos sobre a transmissão de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e HIV/Aids e preservativos dentro da vila Pan-Americana, que receberá 5.500 atletas durante a competição.

Fonte: Reuters