Em carta enviada ao presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Geraldo Lyrio Rocha, arcebispo de Mariana (MG), saudando os bispos pela abertura nesta quarta-feira da 46ª Assembléia da CNBB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que se sente alegre ao completar cinco anos de seu governo e constatar que “o combate à miséria, à fome e à exclusão, objetivo central do nosso programa de governo, vai avançando e já produz frutos concretos”.

Lula disse que não faria, na carta, nenhuma avaliação “à ligeira”, e que isso cabe ao povo e às instituições democráticas do país.

O presidente ainda disse ter “muito apreço pela atuação e pelo perfil de relacionamento que estabelecemos ao longo desses anos em que a Igreja, no seu papel de profecia, alerta, adverte, denuncia e estimula as ações pela justiça, mantendo sua autonomia e independência”.

Veja a íntegra da carta do presidente Lula ao presidente da CNBB:

“Meu caro Dom Geraldo Lyrio,

“Prezados Senhores Cardeais, Arcebispos, Bispos e demais integrantes da 46a Assembléia Geral da CNBB

“Uma vez mais tenho a satisfação de me dirigir aos Senhores nesta ocasião em que a CNBB realiza sua 46ª Assembléia Geral. Fico pensando em como foi importante a iniciativa tomada em 1952 de criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Aquela geração de Bispos, tendo como um dos inspiradores o inesquecível Dom Hélder Câmara, teve de fato uma atitude profética. Sem dúvida, o exercício dessa ação colegiada, concretizada na CNBB, permitiu à Igreja Católica, ao longo de mais de 50 anos, uma atuação muito concreta em defesa da vida, dos direitos humanos e do exercício livre e ativo da cidadania que marcou a vida do Brasil e do povo brasileiro.

“Como já disse em ocasiões anteriores, tenho muito apreço pela atuação e pelo perfil de relacionamento que estabelecemos ao longo desses anos em que a Igreja, no seu papel de profecia, alerta, adverte, denuncia e estimula as ações pela justiça, mantendo sua autonomia e independência. Tenho consciência de que não cabe a nenhum Governo ou forma de poder tentar domesticar ou reduzir o papel das Igrejas e Comunidades Religiosas. Eventuais discordâncias e diferenças de compreensão da realidade fazem parte natural da vida democrática e permitem avanços e correções de rota para o bem do País e de seu Povo.

“Agora que completamos 5 anos de Governo, é tempo de agradecer a Deus pelo que foi possível realizar nesse período. Não quero aqui fazer à ligeira nenhuma avaliação; cabe ao Povo e às Instituições democráticas do País fazê-lo. O único sinal que não posso deixar de mencionar é minha alegria em verificar que o combate à miséria, à fome e à exclusão, objetivo central do nosso programa de Governo, vai avançando e já produz frutos concretos. Ao mesmo tempo, quero olhar para frente e reiterar que nos próximos dois anos e meio estaremos absolutamente tomados pelo propósito de lutar para que a Sociedade Brasileira atinja um patamar de justiça e desenvolvimento sustentável em que a vida, tal como pregado na última Campanha da Fraternidade, encontre plenitude e dignidade.

“Quero desejar que Deus ilumine as mentes e corações de cada um dos Senhores nestes dias e que as decisões desta Assembléia sejam as mais sábias de fecundas para a vida do nosso Povo.

“Com respeito e fraternidade,

“Luiz Inácio Lula da Silva

Presidente da República Federativa do Brasil”

Fonte: O Globo