Clérigos luteranos homossexuais que estão envolvidos em relacionamentos poderão atuar como pastores, afirmou neste sábado (11) o maior grupo luterano dos Estados Unidos.

A Igreja Luterana Evangélica na América (conhecida nos EUA pela sigla ELCA) divulgou uma resolução sobre o assunto em sua assembléia anual, incitando os bispos a não punirem pastores que são “fielmente comprometidos em relacionamentos com o mesmo sexo”.

A resolução foi aprovada por 538 votos contra 431. “A igreja disse ‘não puna’. Isso é muito grande”, afirmou Phil Soucy, porta-voz do Lutherans Concerned, um grupo pela defesa dos direitos de gays e lésbicas dentro da igreja. A ELCA, que tem 4,8 milhões de membros, já havia permitido que gays atuassem como pastores, desde que eles mantivessem a abstinência sexual.

A conferência ainda instruiu um comitê que está desenvolvendo um trabalho social sobre sexualidade a levar adiante a investigação sobre o assunto. O relatório desse comitê deve vir a público em 2009.
Desde que a ELCA foi fundada, em 1988, o grupo ordenou que três pastores com relações gays fossem afastados de seus minsitérios. O caso mais recente foi decidido em julho, quando o comitê da ELCA votou para retirar um pastor assumidamente gay da igreja St. John’s, em Atlanta.

Fonte: G1