Uma comerciante de Bauru (329 km de São Paulo) é suspeita de manter o filho acorrentado pelo pescoço para evitar que ele use drogas. Segundo a Polícia Civil ela contava com o auxílio do marido, padrasto do jovem.

O delegado José Dorneles Costa, da Diju (Delegacia da Infância e Juventude), e investigadores foram até a casa do adolescente localizada no Parque Bauru para cumprir um mandado de busca expedido pela Vara da Infância e Juventude de Bauru.

Costa afirma que o rapaz é suspeito de praticar diversos furtos para comprar drogas. Entretanto, ao chegar na casa onde ele mora para cumprir o mandado de busca e encaminhá-lo para a Fundação Casa (ex-Febem), os agentes viram que ele estava sentado no sofá da sala com uma corrente no pescoço.

Costa afirma que a mãe do rapaz possui um bar próximo a casa onde todos moram. Ao sair, eles fechavam com cadeado a corrente que mantinham no pescoço do jovem, e amarravam a corrente ao pé da cama, para evitar que ele fugisse.

A mãe e o padrasto do adolescente foram encaminhados à Diju e devem responder por privação de liberdade. O jovem foi levado para a Fundação Casa.

Fonte: Folha Online