O senador Magno Malta (PR-ES) apresentou em Plenário, na sessão desta terça-feira (23), um rapaz de nome Adriano, que segundo afirmou, foi entregue aos seus cuidados por uma mãe carente de recursos, para evitar que fosse preso por tráfico de drogas.

Magno Malta, que dirige uma instituição religiosa que abriga crianças drogadas e promove sua recuperação, fazia pronunciamento ressaltando a importância da atenção do Estado para esse problema.

Magno Malta chegou a dirigir-se ao líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), cobrando recursos oficiais para instituições religiosas de caridade no orçamento da União.

O senador lembrou que há 26 anos se dedica a tirar crianças da rua e pessoas da cadeia. Ele disse que Adriano passou sete anos na sua casa, cumprindo pena terapêutica para não ser preso. Ressaltou, em seguida, que o rapaz se recuperou após cinco meses na sua convivência e de sua esposa.

-Depois de oito meses ele se tornou auxiliar de obreiro, em seguida, foi obreiro [da instituição religiosa] e hoje comanda sozinho uma outra instituição – disse o senador, apresentado ainda em Plenário o pastor João Brito, que começoutrabalhando com drogados e hoje comanda outra instituição religiosa.

Em defesa das doações de bens materiais pelo governo federal para ajuda aos drogados, incluindo alcoólatras, Magno Malta observou que a SecretariaNacional Antidroga tem gastado mal seus recursos, que, segundo seu entendimento, são dirigidos a pesquisas desnecessárias.
-Enquanto isso, mantenho minha entidade religiosa graças ao amor a Deus e à venda de meus CDs com as nossas músicas – acrescentou.

FOnte: Agência Senado