Mais de 100 adolescentes cristãos coptas foram presos pelas forças de segurança no Egito, no que a comunidade cristã considera uma pressão do governo para subestimar os

Desde a semana passada, integrantes da Segurança de Estado do Egito foram até as casas de famílias cristãs e prenderam jovens coptas. De acordo com fontes locais, o número de jovens que receberam um mandado de prisão ultrapassou 100 pessoas.

Um professor de Nag Hammadi, Anwar Samuel, disse que os oficiais da Segurança foram até a casa dele por volta das 4h em busca de seu sobrinho Mohareb, que estava no Kuweit.

Depois de descobrir que Mohareb não estava lá, eles “prenderam meus outros sobrinhos, Fadi, Tanios e Wael Milad Samuel, ainda de pijamas”.

De acordo com Anwar, seus sobrinhos receberam choques elétricos.

As autoridades enganaram os adolescentes cristãos dizendo que o bispo Kirollos, de Nag Hammadi, queria que eles fossem para outro lugar, por segurança.

A comunidade copta disse que a Segurança do Estado utilizou diversas táticas, incluindo prisões, para forçar os cristãos a se “reconciliar” com os criminosos. O processo de “reconciliação” não passa de uma maneira de forçar as vítimas a deixar de lado seus direitos de registrar queixas na polícia.

Devido à atenção internacional dada ao tiroteio em Nag Hammadi, que matou seis pessoas, o governo tem pressionado muito a igreja e os coptas para que aceitem a “reconciliação”.

Fonte: Missão Portas Abertas