A Polícia belga prendeu nesta terça-feira 154 pessoas que queriam participar em uma manifestação contra a “islamização da Europa” no bairro europeu de Bruxelas, ato que foi proibido pelas autoridades, anunciou o prefeito da cidade Freddy Thielemans.

“Houve 154 detenções administrativas”, declarou Thielemans durante uma entrevista coletiva à imprensa, indicando que as pessoas seriam liberadas em algumas horas.

Um grande esquema policial organizado em torno das instituições européias impediu a realização da manifestação, que havia sido proibida em agosto por Thielemans, por temor de incidentes com a população de origem imigrante da capital belga.

Entre os detidos estavam o presidente do partido de extrema-direita flamenco Vlaams Belang, Frank Vanhecke, também deputado europeu, e o chefe histórico da força Filip Dewinter.

Outros dois eurodeputados foram detidos: o italiano Mario Borghezzio, da Liga do Norte, e o francês Carl Lang, da Frente Nacional.

“Estou chocado, acreditava que estávamos em um país democrático”, reagiu um dos organizadores da manifestação, Anders Gravers, da associação “Stop the Islamisation of Europe” (“Parem a Islamização da Europa”), ao se referir à decisão da prefeitura de Bruxelas.

A Associação “Stop the Islamisation of Europe” reúne, entre outros, o partido dinamarquês anti-Islã SIAD, o grupo holandês ‘No Sharia Here’ e os alemães da Pax Europa.

Fonte: AFP