Esta semana, mais de 250 líderes se juntaram à organização ‘Cristãos Unidos por Israel’ (CUFI) na capital dos EUA para falar em favor de Israel à luz das recentes resoluções controversas aprovadas pela Organização das Nações Unidas.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/01/13/2119825997-john-hagee-israel.jpg[/img]A resolução mais recente da ONU declarou todos os assentamentos israelenses na Judeia e Samaria – também conhecida como Cisjordânia – estão “ocupando território palestino”. O governo Obama se absteve de votar pela medida, dizendo que não tinha equilíbrio para tomar uma decisão. A decisão dos EUA acabou resultado finalmente na aprovação da resolução.

Agora os líderes cristãos estão pressionando os legisladores norte-americanos para que atendam às petições que pedem a derrubada da resolução anti-assentamentos judeus da ONU e ordenam que o presidente a transfira a embaixada dos EUA em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, considerou a resolução vergonhosa e os líderes da CUFI concordaram com o governante de Israel. O fundador e presidente do grupo, pastor John Hagee (foto), pregou uma forte mensagem de apoio a Netanyahu na noite da última terça-feira (10).

“Senhor Primeiro-Ministro, a CUFI respondeu ao chamado hoje à noite. Ao total, somos em 3,3 milhões e estamos com você, com Israel e com o povo judeu”, declarou Hagee.

As duas petições apoiadas pela CUFI explodiram em assinaturas após a resolução mais recente da ONU.

“Há milhões de sionistas cristãos em todo o país que estão indignados com o tratamento dado pelo governo Obama a Israel”, disse Hagee. “Faremos com que nossa voz seja ouvida nossa voz nos salões do Congresso e nas urnas”.

[b]Fonte: Guia-me[/b]