O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela pediu que se lute por um mundo mais justo por ocasião, no dia 25, do bicentenário da lei britânica que aboliu o comércio de escravos.

Mandela gravou uma mensagem televisiva que será transmitida no domingo em uma tela gigante durante o evento intitulado “Dia da Resistência e da Lembrança”, que será realizado no Museu Britânico para marcar a supressão da escravidão.

Segundo o museu, o ex-presidente sul-africano falará do imenso sofrimento humano causado pelo comércio de escravos. Também se referirá à capacidade do espírito humano para superar e atingir objetivos em “circunstâncias terríveis”.

Apesar de a escravidão ter sido abolida, é preciso trabalhar para “construir um mundo mais justo para todos”, diz Mandela, de 88 anos, cuja mensagem foi antecipada hoje pelo Museu Britânico.

“Há injustiça e desigualdade inclusive no século XXI. Como disse antes, se todos acreditarmos e atuarmos nesta luta pela justiça e encorajarmos outros a crer, teremos nosso ponto de mudança”, afirmou Mandela, que passou 27 anos preso na África do Sul.

No próximo domingo, o Museu Britânico celebra o “Dia da Resistência e da Lembrança”, uma jornada com poesia, música e filmes ligados ao bicentenário.

A lei de 25 de março de 1807 – Slave Trade Act – pôs fim ao tráfico de escravos britânico.

Fonte: EFE