Cerca de 10.000 judeus ultra-ortodoxos protestaram violentamente na noite deste domingo em Jerusalém contra a realização de uma marcha de homossexuais prevista para quinta-feira na cidade, segundo uma fonte policial.

A manifestação dos ultra-ortodoxos, autorizada pela polícia, durou quatro horas e seus organizadores praguejaram contra os que vão desfilar quinta-feira.

Jovens judeus incendiaram duas caçambas de lixo, além de terem atirado pedras contra as forças de ordem, o que gerou enfrentamentos. A polícia dispersou os manifestantes com jatos d’água.

Os judeus ultra-ortodoxos consideram a manifestação dos homossexuais como uma “atrocidade” e penduraram faixas em Jerusalém onde chamavam a protestar contra o movimento gay com o slogan “Deus odeia o excesso”.

Em 2006, a manifestação dos homossexuais nas cidades de Jerusalém, cidade santa para três religiões monoteístas (cristianismo, judaísmo e islamismo), foi cancelada devido a protestos de milhares de judeus ultra-ortodoxos que a consideram um “afronto ao caráter sacro da cidade”.

Uma assembléia de homossexuais ocorreu em novembro em um estádio em Jerusalém, em substituição à manifestação.

Durante a marcha dos homossexuais em 2005, um judeu ultra-ortodoxo esfaqueou três participantes, crime pelo qual foi condenado a 12 anos de prisão.

Fonte: AFP