O papa Francisco suspendeu Franz-Peter Tebartz-van Elst, conhecido como “bispo do luxo”, por gastar cerca de 31 milhões de euros (cerca de R$ 92,6 milhões) na casa.

A milionária mansão do ex-bispo de Limburgo, na Alemanha, Franz Peter Tebartz-van Elst, deve ser transformada em um centro de refugiados ou um local de distribuição de sopa para desabrigados, informaram fontes da Igreja Católica na Alemanha no domingo (27).

Tebartz-van Elst, 53, realizou a construção de uma onerosa sede episcopal, com museu, sala de conferências, capela e apartamentos privados.

O projeto, decidido por seu antecessor, custava inicialmente 5,5 milhões de euros, mas os gastos da obra aumentaram notavelmente, alcançando 31 milhões de euros.

Segundo membros do alto clero alemão, o prédio que custou milhões precisa ter uma utilidade social.

“A residência é como um pecado herdado pelo bispo. Pessoas que nos procuram poderiam se alimentar por lá”, afirmou um porta-voz da organização Caritas, uma das mais importantes entidades humanitárias ligadas à Igreja Católica.

A ideia de transformar o local em um centro de refugiados remete a um antigo bispo local que abrigou uma família da Eritreia enquanto foi morar em uma simples residência para padres recém-ordenados.

[b]Fonte: UOL[/b]