Um manual para organizar células terroristas independentes circula pela Indonésia para recrutar novos jihadistas, segundo um relatório publicado na revista indonésia “Tempo”.

Citando fontes anônimas, a revista afirma que o manual, de 82 páginas, está há meses em circulação. Mas sua autoria e o número de cópias existentes são desconhecidos.

O livro reúne versículos do Corão para justificar o uso da guerra santa ou “jihad”. Além disso, explica como organizar uma célula terrorista em seis meses, com métodos para recrutar novos membros, obter fundos e distribuir tarefas.

Segundo o livro, o recrutamento é uma fase fundamental para a criação de células terroristas. Antes de aceitar novos jihadistas, o texto recomenda “analisar seu passado, sobretudo entre os 12 e os 18 anos, um período essencial para a formação da personalidade”.

Para conseguir fundos, o manual recomenda buscar doações e participar da vida comunitária da localidade. A segurança do manual e de outros documentos é de vital importância, continua o texto. Portanto, os terroristas devem ter sempre uma garrafa de gasolina e fósforos perto do computador.

A revista publica a denúncia pouco depois de o chefe da polícia Nacional da Indonésia, Sutanto, afirmar que o risco de atentados diminuiu após a captura de numerosos terroristas. O porta-voz da polícia, Paulus Purwoko, comentou que vai “abrir uma investigação”, mas admitiu que é necessário saber mas sobre a distribuição do livro.

Segundo Purwoko, manuais parecidos circulam desde os atentados na ilha de Bali, em 2002, quando 202 pessoas morreram. Desde então, Indonésia sofre a cada ano um atentado terrorista.

Fonte: Estadão