Em uma semana, desde que foi inserido na rede mundial de computadores, no dia 6 de julho, o manuscrito de parte da Bíblia conhecido como Codex Sinaiticus, com cerca de 1.600 anos, recebeu mais de 100 milhões de visitas, informou a Biblioteca da Universidade de Leipzig, na Alemanha.

A digitalização do Codex Sinaiticus teve início em 2005. O texto, escrito em grego, aparece em quatro colunas. Em 1844, o teólogo alemão Constantin von Tischendorf trouxe do Monastério de Santa Catalina, no Egito, 43 das 129 folhas do Codex em pergaminho, de 33,5 por 37,5 centímetros, que ele encontrou em cesta de lixo do centro religioso e que foram guardadas na Biblioteca de Leipzig.

Outras partes do original encontram-se na Biblioteca Nacional Russa, em São Petesburgo, na Livraria Britânica, no Monastério egípcio, além da Biblioteca de Leipzig. Ao lado do Codex Vaticanus, o Codex Sinaiticus é tido como o mais antigo manuscrito do Novo Testamento.

O manuscrito pode ser acessado em www.codex-sinaiticus.net

Fonte: ALC