Rezende disse que, em 1992, trabalhando na Rede Globo, foi convocado a uma reunião para discutir a realização de um “Globo Repórter” com o objetivo de atacar Macedo.

A pretexto do seu aniversário de 63 anos, festejado no último dia 11, o jornalista Marcelo Rezende ganhou uma homenagem especial da Record neste domingo (16). Por duas horas e dez minutos, ele ouviu elogios de colegas, amigos e fãs no palco do “Domingo Show”, além de ter sido objeto de uma visita da equipe do programa, previamente gravada, em sua casa.

O ápice da bajulação se deu no final, quando o apresentador Geraldo Luis lhe entregou um vaso de flores e leu uma carta repleta de elogios assinada por Edir Macedo, líder da Igreja Universal e dono da Rede Record. “Essas flores vêm de um homem de uma grande alma e de uma coragem extraordinária”, disse o apresentador do “Domingo Show”.

“É a primeira vez, em 43 anos, que o dono de uma empresa me manda uma carta”, disse Rezende, antes de iniciar um discurso de quase 10 minutos, concluído com um beijo ao patrão (imagem acima).

Rezende surpreendeu ao afirmar que, em 1992, trabalhando na Rede Globo, foi convocado a uma reunião para discutir a realização de um “Globo Repórter” com o objetivo de atacar Macedo. Abaixo a transcrição do que disse:

“Era uma reunião para sentar o pau no bispo Macedo. Era pra fazer uma reportagem, todo mundo. Eu tô olhando a reunião. Eu tô lá, os caras esperando pra ver o que eu tenho pra dizer. Mudo eu tava, mudo eu fiquei. Quando acabou aquela reunião, para fazer um ‘Globo Repórter’, pra sentar [img align=right width=300]http://imguol.com/blogs/2/files/2014/11/MarceloRezendaMacedo.png[/img]a burduna no bispo Macedo e na igreja, eu olhei. ‘Posso falar uma coisa?’ Tava todo mundo esperando que eu falasse. ‘Vocês vão cometer dois erros. O primeiro erro é que vocês vão bater na fé das pessoas. Quem entra, em busca de uma palavra, ela vai buscar um algo pra confortar o seu coração, e vocês vão agredir todas essas pessoas. A segunda coisa é uma reflexão’. Aí ficou todo mundo me olhando. ‘A reflexão é a seguinte. Um homem mente. Ele mente pra um, ele mente pra 50, ele mente pra 50 milhões. É possível um homem mentir pra 200 países?’ Será? Esse homem, que fez essa carta pra mim, com essa generosidade, é um homem que pode chegar e mentir pra todo mundo? Não. Não pode.”

Rezende não revelou se convenceu os seus interlocutores na Globo a desistirem do programa, nem qual foi a reação às suas palavras. O apresentador do “Cidade Alerta” prosseguiu em sua defesa de Macedo, dizendo que a construção do Templo de Salomão é a maior prova da honestidade do criador da Igreja Universal:

“Todo mundo esculhamba o sujeito porque ‘é um ladrão, rouba dinheiro dos outros’. A pergunta que te faço é: pra que ele ia investir tanto dinheiro pra fazer aquele Templo de Salomão? Pra quê? Se o dinheiro já tava lá, ficava com o dinheiro pra ele. Mas ele fez.”

O apresentador relatou a sua visita ao templo: “Quando você olha o Templo de Salomão aqui no Brás você fica impactado. Aquilo é grande, tem uma dimensão gigantesca. Quando você entra naquela santuário, você entende a dimensão, você se vê diante de Deus e você se sente feliz.”

E voltou a fazer elogios a Macedo, pela “missão espinhosa e difícil” que ele tem, de levar “a palavra de Deus para aquelas pessoas que precisam”. Ao final, disse: “Eu quero agradecer o senhor de coração. Vou lhe jogar um beijo. Primeira vez que eu jogo um beijo pro patrão.”

[b]Fonte: UOL[/b]