A marcha do orgulho gay que vários grupos desta comunidade organizam em Jerusalém, e que já foi adiada duas vezes por conflitos alheios ao desfile, acontecerá no dia 21 de setembro, anunciaram hoje os organizadores.

Representantes das três religiões monoteístas – judaica, cristã e muçulmana -, para as quais Jerusalém é uma cidade santa, tentaram impedir a marcha, mas as autoridades civis liberaram sua realização.

No entanto, a oposição dos grupos religiosos, sobretudo dos setores ortodoxos, tornará necessária a adoção de medidas de segurança rígidas.

Foram essas medidas que, há um ano, forçaram a suspensão da primeira Parada Gay de Jerusalém – em virtude do Plano de Desligamento em execução na época – e que obrigaram o cancelamento do desfile há cerca de dois meses, devido ao conflito com o Hisbolá.

A organizadora do ato é a chamada Casa Aberta, um centro de encontro para gays, lésbicas e transexuais, no qual são oferecidos serviços sociais e religiosos.

Fonte: EFE