Os bispos da igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sonia Hernandes, que cumprem prisão domiciliar nos Estados Unidos, falaram, hoje, com 3 milhões de fiéis que participaram da 15ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo. Através de um sistema via-satélite direto de Miami, Estevam Hernandes afirmou que “o Brasil será o maior País evangélico do mundo, porque o Senhor determinou”.

Em nenhum momento, os problemas judiciais do casal foram mencionados.

Durante o pronunciamento, que foi assistido a partir de um telão, o bispo leu uma passagem bíblica do apóstolo João – capítulo três, versículo 16 – e destacou a reunião dos fiéis. Ele vestia uma camiseta da marcha e disse que tem uma “dívida de amor” com os fiéis.

“Hoje é um dia memorável. Reunimos aqui seis milhões de pessoas e isso é uma prova de que a igreja está viva, que este é o templo de Jesus Cristo”, afirmou.

“O simples fato de seis milhões de pessoas saírem na rua é algo memorável. Nenhum líder, nenhuma seita, nenhum homem poderia fazer isso. Somente o Senhor, o filho de Deus”, completou.

Estevam Hernandes lembrou que o ex-Beatle John Lennon disse que era mais conhecido do que Jesus Cristo. “Certa vez, John Lennon falou que era mais conhecido do que Jesus. Mas, um dia, no Central Park, em Nova Iorque, foi assassinado e ali terminou a sua vida. Porém, Jesus Cristo foi assassinado na cruz e está aqui entre nós”, disse.

O bispo ainda fez uma oração e disse que os dependentes químicos do álcool e das drogas seriam libertos. “Hoje você será curado”, afirmou aos fiéis.

Ele prometeu também que a marcha do ano que vem será ainda maior que essa, porque “as pessoas que estão aqui hoje sozinhas, trarão os amigos, os vizinhos, e os pais” na próxima edição.

Sônia Hernandes falou rapidamente com os fiéis. Após saudar o público, ela disse que era um dia especial e ficou feliz em ver tanta gente reunida.

“Essa é a igreja gloriosa de Jesus Cristo. Ninguém vai nos impedir de viver o amor em Jesus”, declarou.

SP: “Marcha para Jesus” reúne 3 milhões de pessoas

A 15ª Marcha para Jesus começou às 10h10 e reuniu cerca de 3 milhões de pessoas em São Paulo no feriado de Corpus Christi, segundo estimativas da Polícia Militar. Um trio elétrico que animava a caminhada tocou uma mesagem de voz gravada pelos bispos da Igreja Renascer em que pediam ânimo para as pessoas presentes.

Antes mesmo do início da caminhada, havia 500 mil pessoas na região da Praça da Luz, onde os fiéis estavam concentrados. A marcha passou pelas avenidas Tiradentes e Santos Dumont e, por volta das 15h, cerca de 350 mil pessoas se concentravam na praça Heróis da FEB, próximo ao Campo de Marte, onde ocorre a apresentação de bandas Gospel.

Para o evento, foram contratados 18 trios-elétricos e 27 bandas, que animaram os fiéis, que não eram somente da capital, mas também vindos de outras cidades. Foram contabilizados 250 caravanas, divididas em 218 ônibus. Para a segurança dos participantes foram mobilizados 1.250 policiais e quatro ambulâncias.

A Marcha para Jesus é um evento internacional que reúne as igrejas evangélicas. Segundo os organizadores, a marcha é um evento que permite expressar ao mundo a fé e a comunhão em Cristo.

Uma das filhas do casal dos fundadores da Renascer, Fernanda, contou como como é participar pela primeira vez do evento sem os pais. “Eu fui criada no meio disto, eu marcho para Jesus desde os 11 anos. Então, para mim, é só dar continuidade àquilo que é minha história. Eu já marchei solteira, noiva, casada e agora com dois filhos”, declarou.

Autoridades

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, participou do evento no Campo de Bagatelle e, para ele, a prefeitura procura ajudar na organização. “É um grande evento da cidade e é por isso que a prefeitura coloca à disposição toda sua estrutura. Eu vim desejar boa sorte aos organizadores”, disse.

Questionado sobre o constrangimento que poderia causar a participação dos bispos detidos em Miami, Kassab preferiu não opinar. “É um problema de Justiça e que não me diz respeito. Evidentemente, cabe à Justiça definir qual é a punição, se eles devem ser punidos ou se houve alguma ilegalidade. Eu prefiro não me envolver nisso”, afirmou.

O vice-governador do Estado, Alberto Goldman, também esteve presente. “Eu vim aqui representar o governador Serra, que não pôde estar presente. Ele pediu que eu viesse aqui e desse os cumprimentos ao povo que está reunido hoje”, disse.

O bispo José Bruno, que também participa do evento, afirmou que “a marcha não é de uma igreja. Aqui estão centenas de igrejas em aliança com Deus, e não com pessoas”. Bispos de diversas igrejas evangélicas fizeram uso da palavra no evento, que prosseguiu até as 20h.

Fonte: Terra