A acusação levada por Marco Feliciano (foto) à Polícia Federal tem como base o artigo 208 do Código Penal que proíbe “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”.

O deputado federal e pastor Marco Feliciano decidiu acionar a Polícia Federal para investigar o grupo “Porta dos Fundos” por suposto crime no vídeo postado nessa segunda-feira (19) no YouTube, segundo o jornalista Lauro Jardim.

O vídeo, que mostra a reação de um médico e um grupo de pessoas ao encontrar uma suposta imagem de Jesus Cristo na vagina de uma mulher, durante um exame ginecológico, motivou críticas por parte de Feliciano, que ontem pediu que a peça humorística fosse denunciada no YouTube para ser retirada do ar.

A acusação levada por Feliciano à Polícia Federal tem como base o artigo 208 do Código Penal que proíbe “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”.

Na tarde dessa terça-feira (20), Feliciano fez um breve comentário sobre a repercussão causada por sua crítica ao vídeo, e ressaltou a importância de lutar por sua fé.

– Li uma frase que me fez pensar muito, vou repassá-la em 2 posts, leia e medite: “Se você prega o Evangelho, mas nada faz contra os que o achincalham, isso quer dizer que você só ama a Deus até o ponto em que não é preciso comprar uma briga por Ele.” Olavo de Carvalho – publicou o deputado, citando o conhecido filósofo católico.

– Tenho certeza que o termo brigar aqui não se refere a ir às vias de fato, mas usar os mecanismos que a lei estabeleceu. Cód. Penal art. 208. – completou Feliciano.

Depois das críticas feitas por Feliciano, classificadas pelo Porta dos Fundos como “uma grande jogada de marketing” para o canal no YouTube, o vídeo já teve mais de um milhão e meio de visualizações.

[b]Fonte: Gospel+[/b]