O deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara pela última vez na quarta-feira. Ele avaliou positivamente a sua passagem pelo colegiado.

“Minha passagem por aqui valorizou a comissão. Espero que eles tenham entendido o valor da comissão, porque ela só veio parar na nossa mão porque eles a abandonaram.”

No início do ano, a comissão cancelou diversas reuniões por causa de manifestações de grupos contrários à presença de Feliciano, que foi acusado de racismo e homofobia por declarações no Twitter e em cultos religiosos.

“Fui acusado de ódio e intolerância, mas não precisei falar nada. O ano todo mostrou quem eram os intolerantes. Em que momento que eu pratiquei o ódio? Em que momento que eu fui intolerante? Em momento nenhum fui à tribuna. Aguentei calado.”

Ele acredita que em 2014 a presidência do colegiado será disputada: “Colocamos os direitos humanos na pauta”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]