Curtis Lovejoy já disputou cinco Paralimpíadas, é também diácono da Igreja Batista de Mount Carmel, em Atlanta (EUA).

Chega a ser difícil priorizar um ou outro feito na vida do atleta, que compete nas classes S2, SB (peito) e SM2 (medley), para pessoas com limitações físico-motoras. Vítima de uma batida de carros em 1986, aos 36 anos, ele sofreu uma grave lesão medular. Hoje, aos 58, treina focado em buscar novas medalhas no Rio-2016.

O currículo do americano causa inveja em qualquer esportista. Entre as Paralimpíadas de Atlanta (1996) e Londres (2012), ele faturou oito medalhas, sendo quatro ouros, três pratas e um bronze, com direito a recordes mundiais.

Mas também impressiona a sabedoria com que Curtis soube conduzir a vida depois de se tornar um tetraplégico incompleto. Em outras palavras, ele consegue mover braços e ombros, mas tem limitações nas mãos e nas pernas.

– Depois do acidente, eu resolvi aprender a nadar. Comecei a treinar todos os dias e entendi como posicionar as mãos corretamente. Imitava um golfinho – contou Lovejoy, ao LANCE!.

A deficiência não o impediu de fazer o que nenhum outro americano havia chegado perto de conseguir. Integrado ao esporte de alto rendimento, Lovejoy tornou-se em 2006 o primeiro campeão mundial do país em modalidades independentes.

Além da natação, em que foi ouro nos 150 metros medley e 50 metros borboleta naquele ano, ele triunfou na esgrima em cadeira de rodas (florete e espada). O esporte faz parte do programa olímpico, mas não está no Parapan.

– O mais importante é que eu me mantenho ocupado. Quando não estou nadando, pratico esgrima ou participo de grupos da igreja. Gosto de unir pessoas – disse Curtis, casado e pai de três filhas, sendo duas adotivas, e avô de um menino.

A trajetória religiosa começou em 1991. Além de executar as funções que cabem ao diácono, como auxiliar o bispo em rituais, ele lidera uma equipe de natação composta somente por membros da igreja.

Em Toronto, Curtis já conquistou uma prata no revezamento 4×50 livre de 20 pontos. Na última quinta-feira, Curtis Lovejoy ficou em oitavo lugar nos 150 metros medley SM1-4. Nesta sexta-feira, disputa a eliminatória dos 200 metros livre S1-5, às 9h20 (de Brasília).

BATE-BOLA

Curtis Lovejoy, nadador dos EUA, ao LANCE!

‘Natação me fez chegar a esse nível’

Como é nadar aos 58 anos?
(Risos). Tenho conseguido manter uma boa forma. A natação me fez chegar a esse nível. Faço muitos treinamentos, técnicas de relaxamento, alongamentos. Tenho todas as garantias oferecidas pelo Comitê Paralímpico americano.

Como é seu dia a dia?
Acordo às 5h e nado de 6h às 8h. Faço palestras de motivação e depois vou para o segundo treino, de 17h às 19h. Três vezes na semana, às terças, quartas e quintas, pratico esgrima.

QUEM É ELE

Nome
Curtis Lovejoy (58 anos)

Nascimento
13/5/1957, em Atlanta (EUA)

Maiores conquistas
Ouro nos 50m peito, prata nos 50 e 100m livre e bronze nos 200m livre (Atenas); ouro nos 50 e 100m livre (Sydney); ouro nos 50m peito e prata nos 50m costa (Atlanta).

[b]Fonte: Terra[/b]