Policiais civis de Brasília contaram com o auxílio de uma turbulência para conseguir a confissão de um acusado. O pastor evangélico Sandoval Silva dos Santos, 37, – acusado de assassinar a companheira Zélia Carvalho, 46, em janeiro –, resolveu revelar onde estava o corpo da vítima depois que o avião da polícia entrou em uma zona de turbulência.

O autor do crime ficou com medo de morrer.

Sandoval foi preso em Santos. O criminoso confessou que a matou a pauladas num matagal, após discussão por causa de uma amante dele. Em seguida, enterrou o corpo numa cova rasa, cobrindo-o de folhas.

Quando, já preso, retornava a Brasília, ficou assustado com os balanços do jatinho e, como os agentes, de brincadeira, fingiam estar apavorados com a iminente “queda” do avião, o pastor começou a chorar e contou tudo, até onde estava o corpo, já localizado.

Fonte: Gazeta do Sul