O medo de pegar a gripe suína provocou mudanças em certos ritos de templos anglicanos ou católicos do país, informa o jornal “Financial Times”. O país registrou nesta terça-feira sua 30ª morte, enquanto o governo teme que as mortes possam chegar a 65 mil pessoas até o próximo inverno.

Algumas igrejas anglicanas retomaram uma prática existente há quase 500 anos, quando a peste negra castigava as ilhas do Reino Unido: molhar um pequeno pedaço de pão no vinho do cálice em vez de ingerir a bebida diretamente.

Segundo o jornal, esta prática está autorizada pela chamada Ata do Sacramento, de 1547, introduzida por causa da epidemia de peste negra.

A diocese londrina de Southwark, por exemplo, recomenda que os fiéis se abracem em vez de apertar as mãos como sinal de paz. Outras aconselham não usar água benta para se benzer.

Alguns sacerdotes católicos depositam as hóstias nas mãos dos fiéis em vez de a conduzirem diretamente à boca, conta o jornal.

O bispo católico de Plymouth, Christopher Budd, recomendou recentemente aos padres de sua paróquia a suspensão do uso do cálice e a entrega da hóstia nas mãos depois da “decisão de designar o foco de gripe suína como uma pandemia”.

“Algumas pessoas dizem que, ao receber o corpo de Cristo, este vai protegê-las, mas não é uma poção mágica. É preciso ser prudente”, explica Michael Fay, porta-voz dessa diocese.

Fonte: Folha Online