A Polícia Civil de Maringá, no norte do Paraná, a cerca de 450 quilômetros de Curitiba, está empenhada em desvendar a morte de uma menina de 10 anos de idade.

Ela desapareceu ontem à noite, quando participava com os pais, moradores de Sarandi, município vizinho a Maringá, de um encontro da Igreja Assembléia de Deus. O corpo foi encontrado hoje em um canavial, às margens da PR-317, com sinais de violência sexual e estrangulamento.

Segundo as informações, o encontro reuniu aproximadamente 1,3 mil pessoas, 300 das quais assistiam ao evento por um telão, do lado de fora. A menina também brincava fora da igreja.

Os pais perceberam o desaparecimento por volta das 22h30, quando terminou o encontro. A Polícia Militar foi chamada e imediatamente começou o trabalho de buscas, distribuindo imagens da criança. A polícia ainda não tem suspeitos.

Leia a nota da Assembléia de Deus sobre o crime

Nota à imprensa:

Profundamente consternada e solidária à família vítima de uma ação violenta e insana e – em respeito à opinião pública -, a Igreja Assembléia de Deus de Maringá esclarece os seguintes fatos:

– Na noite de sábado último, dia 20, promovemos um evento de evangelização que atraiu cerca de 1.300 pessoas entre membros e convidados em geral da comunidade.

– Por volta das 22h30m, quando se encerrou o evento, a direção da Igreja foi comunicada sobre o desaparecimento nas dependências externas da Igreja de uma criança de dez anos de idade filha de um casal de membros também presente ao evento.

– Imediatamente, a direção da Igreja tomou todas as providências cabíveis: comunicação do fato às autoridades policiais, buscas incessantes em diversos lugares, assistência plena aos familiares e distribuição de fotos da menina em locais estratégicos. Enfim, todas as ações necessárias e urgentes foram tomadas de imediato.

– Infelizmente, o desaparecimento teve um desfecho trágico com a localização do corpo de M.C., de 10 anos de idade, na saída para Astorga, na manhã deste domingo, dia 21.

– Apesar de toda a estrutura de apoio e de vigilância exercida por voluntários da Igreja para um evento dessa natureza, infelizmente fomos vítimas de uma fatalidade que poderia – e pode ocorrer – quando centenas ou milhares de pessoas estão reunidas num mesmo local.

– Reiteramos nossa solidariedade à família porque a dor dela é a mesma dor que sentimos.
– Rogamos as orações de toda a comunidade para que se juntem às nossas orações na busca do conforto aos familiares e a todos que compartilham neste momento da mesma dor.

– Da parte da Igreja, tomamos todas as providências administrativas. E confiamos na instituição policial para que o (s) responsável (responsáveis) sejam descobertos e respondam judicialmente pela violência brutal que tirou a vida de uma adolescente muito querida por todos nós.

Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Maringá

Fonte: Estadão e O Diário de Maringá