Ao som da Frevioca e de diversos grupos religiosos, milhares de católicos tomaram, neste domingo pela manhã, a Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, em manifestação contra a legalização do aborto.

O ato, denominado Segunda Caminhada pela Vida, foi marcado pela alegria, presença de muitas famílias, e serviu para antecipar o início das comemorações da Semana Nacional da Vida, a ser realizada entre os próximos dias 1º e 8 de outubro em todo o País, além de reforçar o tema da Campanha da Fraternidade deste ano: Escolhe, pois, a vida.

O encontro, organizado pela Pastoral da Família da Arquidiocese de Olinda e Recife, contou com a participação de representantes da Igreja Católica de todas as regiões do Estado. Entre os organizadores do evento, o sentimento era de dever cumprido. “Acredito que conseguimos sensibilizar as pessoas para a importância de não aceitar a legalização desse atentado contra a vida. Nós católicos não iremos tolerar esta cultura de morte estabelecida na sociedade e sempre iremos celebrar a vida, assim como fez Jesus Cristo. E não é só questão do aborto. É preciso chamar a atenção para todo tipo de violência que atente contra o bem-estar das pessoas”, comentou o coordenador da Pastoral da Família, Milton Morais. Sobre a participação popular acrescentou. “O povo estava muito feliz e animado, acho que todos entenderam o recado perfeitamente.”

Entre os participantes, a satisfação em fazer parte da celebração era compartilhada com entusiasmo. “É muito gratificante ver essa quantidade de gente envolvida com uma questão dessa importância. Pessoas de todas as idades compareceram a esta festa de exaltação à vida e me orgulho de fazer parte disso. Espero que as próximas edições alcancem o mesmo sucesso das duas primeiras, para que, cada vez mais, possamos ampliar a divulgação deste ideal”, ponderou o diácono Genival Lima.

A caminhada teve início pouco depois das 9h e seguiu até o começo da tarde. O trajeto realizado pelos fiéis compreendeu a extensão entre a Pracinha de Boa Viagem e o Segundo Jardim. A estimativa da organização é que pelo menos 10 mil pessoas passaram pela avenida, praticamente o dobro da quantidade registrada no ano passado.

Fonte: JC Online