Vendedor só ficou sabendo de que era filho do vigário da cidade já adulto, e agora briga pela herança.

Minas Gerais – Ao descobrir já adulto que era filho do padre Roldão Gonçalves Rodrigues, que, na década de 1980, foi vigário da igreja da cidade de Patos de Minas, o vendedor Fabrício Augusto Nascentes, 31 anos, está, agora, brigando na Justiça para ter direito à herança do pai. “Ele morreu, em agosto do ano passado. Em outubro daquele ano, um sobrinho dele me procurou e me revelou toda a verdade. Foi então que decidi brigar pelos meus direitos”, disse em entrevista ao site G1, lembrando que o patrimônio deixado pelo padre está avaliado em cerca de R$ 5 milhões entre imóvel rural, urbano e dinheiro no banco.

Nascentes disse, ainda, que sempre tentou descobrir a identidade do pai e isso era motivo de discussão na família. “A minha dor maior era saber que na minha certidão de nascimento não consta o nome do meu pai”. Com mais de 50 anos e preocupada em esquecer o passado, sua mãe não queria falar acerca do assunto, “mas depois que eu contei o que sabiam, ela confirmou tudo”, afirmou o homem, garantindo que a mãe estudou uma escola que ficava do lado da casa paroquial e começou a namorar o padre. “Por causa disso, ela foi expulsa de casa. Naquela época, ser mãe solteira era um drama. Imagine ser mãe solteira de um padre”.

Irmã mais velha do padre Roldão, a produtora rural Jovina Rodrigues de Paula, decidiu ajudar Nascentes. “Não sabia que meu irmão tinha esse filho. Fiquei sabendo depois que ele morreu. Então fiz o exame de DNA pois não queria ficar na dúvida e deu positivo. Quero que meu sobrinho receba sua parte na herança”, acrescentou Jovina.

[b]Fonte: Jornal Coletivo[/b]