Trabalho com moradores de rua na cidade de Atenas tem transformado vidas cuidando do corpo e da alma dos necessitados.

A cidade de Atenas é considerada o berço da civilização moderna. A capital da Grécia já foi berço de filósofos, matemáticos e dramaturgos que ajudaram a escrever a história da humanidade. Mas há muito a cidade deixou para trás os dias de glória.

Após a sua entrada na Comunidade Europeia, em 1981, a Grécia enfrenta o desafio de voltar a ser uma influente capital, mas continua enfrentando graves problemas sociais. Em meio à crise do Euro, o desemprego atingiu a população e as ruas da cidade estão cada vez mais cheias de pessoas sem-teto e doentes mentais.

O número elevado da população que vive nas ruas da capital forçou o governo a permitir a atuação de qualquer instituição internacional que estabeleça centros de ajuda. Com isso, uma pequena igreja brasileira está conseguindo trazer esperança a essas almas perdidas.

O pastor e missionário brasileiro Valdenor Oliveira, que vive com sua família há mais de dez anos, em Atenas, explica que essa foi a principal razão para o surgimento do Centro Cristão Barnabé, que cuida do corpo e da alma dos necessitados.

” Centro Cristão Barnabé é um ministério voltado para as pessoas de rua. Chegamos à Grécia para evangelizar os gregos. Os anos se passaram, mas ninguém veio. Eu não sabia o que devia fazer “, disse Oliveira. “Um dia eu perguntei ao Senhor, por que eu pedi gregos e só aparecem mendigos, pessoas mal cheirosas… o Senhor me disse, “Estas são ovelhas sem pastor, e você vai ser o pastor delas”, conta Valdenor. “Então eu comecei a amá-los e vê-los como ovelhas que precisam de cuidados, tratamento”.

Localizado numa região considerada perigosa, o trabalho não foi bem aceito pelos seus vizinhos gregos, porque o Centro Barnabé só atraia pessoas sujas e doentes.

Depois de alguns meses, foi necessário uma mudança no ministério. “Nós tivemos que orar e decidimos usar outro espaço no mesmo prédio. A igreja fica no primeiro andar e no segundo andar agora funciona o Barnabé”, explica.

Valdenor explica que o nome Barnabé é extremamente importante para este ministério. “Era o nome de um grego, um homem muito bom, que ajudou os pobres. É um nome estratégico porque os gregos gostam muito de nome de santos”, explica. “O povo grego é muito semelhante aos latinos. São mais afetuosos, mais calorosos”, comenta. Mas a religião oficial é a da Igreja Ortodoxa Grega e os evangélicos nem sempre são bem vistos.

A família Oliveira e os membros da igreja preparam almoços para dezenas de pessoas que são servidos duas vezes por semana, oferecendo também o alimento espiritual através de filmes ou de sermões.

“Esta é uma obra de fé, porque o Senhor proveu nossas necessidades. Tudo o que você vê neste trabalho, o Senhor tem abençoado”, disse o pastor ao site Mundo Cristiano.

O trabalho e dedicação do centro cristão tem mudado a vida de centenas de pessoas em Atenas. Como é o caso de Nicos Sajarof é um empresário rico que acabou falindo em meio à crise, teve um surto e acabou vivendo na rua.

“Eu conheci o pastor Valdenor durante um período de desequilíbrio emocional. Eu vim aqui para pedir comida e, aos poucos, senti o amor dessas pessoas e seu Deus, e continuei vindo aqui. Agora que tenho Jesus como meu Salvador tento segui-lo e compartilhar com outros homens na rua o que eu encontrei aqui “, explica Sajarof.

Apesar do reconhecimento do trabalho do Centro Cristão Barnabé, as leis gregas sobre visto preocupam a família Oliveira, pois as leis estão mudando. “Nestes anos que estou na Grécia não tive nenhum problema. Sei que vou ficar na Grécia por mais alguns anos e vou continuar com o trabalho do Senhor”.

[b]Fonte: Gospel Prime – Traduzido de CBN.[/b]