Um dia após o presidente Lula ter elogiado na Jamaica a cachaça brasileira, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, lançou no Rio uma campanha de prevenção de riscos no consumo de bebidas alcóolicas.

Ela começará a ser divulgada hoje na TV em comerciais que, de início, parecem com os de cerveja, mas que acabam por alertar para o “lado da bebida alcoólica que a propaganda não mostra”, terminando com o slogan “conheça os riscos, seja responsável”.

Na entrevista de lançamento, Temporão respondeu que não via contradição no discurso do presidente e na ação do ministério.

“Está muito na moda essa frase que diz que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Vender cachaça para exportação é importante para o país, mas nossa política não tem nenhum viés moralista nem está dizendo “parem de beber”. A bebida é socialmente aceitável e pode ser motivo de alegria e prazer. O que estamos chamando atenção é para o consumo abusivo e precoce.”

O ministro voltou a dizer que até o fim do mês o governo enviará ao Congresso um pacote de medidas que incluirá a proibição de venda de bebidas alcóolicas em rodovias federais e a restrição da propaganda daquelas com mais de 0,5 grau Gay Lussac (caso das cervejas e de misturas “coolers” e “ices”).

Hoje, a restrição acontece somente para bebidas com mais de 13 graus Gay Lussac, como cachaças, uísques e vodcas.

O superintendente do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja, Marcos Mesquita, disse que a entidade apóia qualquer campanha de conscientização sobre o consumo responsável e que esse movimento já tem partido das próprias empresas, mas disse ser contra a restrição de propaganda de cerveja por entender que isso não reduzirá o consumo.

Fonte: Folha de São Paulo