O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, disse ontem que a nova greve de fome do bispo da cidade de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, “parece chantagem”. Segundo ele, o governo federal não vai paralisar as obras de transposição das águas do rio São Francisco nem negociar o fim do protesto.

“Lamento profundamente que Cappio tenha enveredado por esse caminho, contrariando o dogma da igreja de que atentar contra a própria vida é pecado”, disse Geddel, em entrevista por telefone.

Segundo Geddel, sua única iniciativa foi entrar em contato ontem com o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), “para pedir a ele que deixe uma estrutura médica à disposição do bispo Cappio”.

O ministro rebateu a acusação do religioso, de que o governo federal teria se recusado a discutir o projeto. Disse que quando assumiu o ministério, em março, convidou o bispo para conversar, mas ele não veio.

Sobre a chance de um acordo para acabar com o jejum, Geddel disse: “Não tem o que negociar, a forma como ele está colocando parece chantagem”.

Ainda de acordo com o ministro, as obras não vão parar por causa disso. “Resta apenas lamentar e pedir a Deus pela sua misericórdia, e que devolva o bom senso a Cappio”, declarou Geddel.

Fonte: Folha de São Paulo