O ministro da Cultura, Gilberto Gil, vai encaminhar ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) um pedido de reconhecimento do uso do chá ayahuasca em rituais de religiões como Santo Daime como patrimônio imaterial da cultura brasileira.

A solicitação, entregue ao ministro na quarta-feira, em Rio Branco (AC), em documento assinado por representantes dos fundadores das doutrinas ayahuasqueiras, foi endossado pelo governador do Acre, Binho Marques (PT), pelo deputado Edvaldo Magalhães (PC do B), presidente da Assembléia Legislativa, além da deputada federal Perpétua Almeida (PC do B), articuladora do projeto de reconhecimento do uso ritual da ayahuasca.

“Espero que nós possamos celebrar em breve o registro do ayahuasca como patrimônio cultural da nação brasileira”, disse o ministro. Gil destacou que as religiões que utilizam o chá ayahuasca (também conhecido como Vegetal ou Hoasca) são traços importantes da cultura brasileira, na aproximação dos homens com Deus.

“Neste caso, específico, acrescenta-se o afeto em relação a outra dimensão importantíssima para a vida, que é a Natureza”, ressaltou o ministro. Ele disse que o Iphan, órgão do Ministério da Cultura, vai examinar “com todo zelo, carinho e responsabilidade” a solicitação.

Fonte: Terra