A polícia do Estado de Karnataka confirmou ter levado 22 cristãos sob custódia na última quinta-feira, sob acusação de tentar converter pessoas no distrito de Dharward.

As prisões aconteceram depois que moradores de aldeia Bada alegaram que os missionários entregavam folhetos favoráveis ao cristianismo e contra os deuses hindus, os quais eles diziam ser “feitos de papel” e “sem poder”. Os aldeões também disseram que os cristãos estavam oferecendo dinheiro para quem se convertesse ao cristianismo.

A polícia confiscou o material que estava com os missionários, dizendo que os papéis apelavam para que os moradores de tornassem cristãos para terem uma vida feliz.

Os 22 cristãos compareceram diante de um magistrado em Dharwad, que os acusou sob as seções 298 (fazer declarações com intenção de ferir sentimentos religiosos), 448 (invasão de domicílio) e 504 (insulto intencional visando quebrar a paz). O juiz os libertou mediante pagamento de fiança.

Cristãos locais observaram que a área é fortemente dominada pelo Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS, um grupo paramilitar fundamentalista hindu).

Em contrapartida, em “novembro de 2006, a porta da frente de uma igreja católica de Nirmal Nagar, em Dharward, foi queimada durante a madrugada. As autoridades não tomaram qualquer providência concreta para prender os vândalos”, disse Derek Fernandes, bispo de Karwar.

Mais recentemente, em 26 de fevereiro deste ano, a “Associação do Bem-estar da Minoria Cristã do Distrito de Dharwad” promoveu um protesto contra a crescente violência anticristã. Os manifestantes exigiram do governo que agisse contra as “forças fundamentalistas” que vinham atacando os cristãos locais há meses.

Fonte: Portas Abertas