FG News: Ministro da Educação reclamou de apostila usada por sua filha

Postado em: 15-12-2008 A pol√™mica acerca do ensino do criacionismo nas aulas de ci√™ncias envolveu pessoalmente o ministro da Educa√ß√£o, Fernando Haddad. A filha dele de nove anos estuda na unidade de Bras√≠lia do Mackenzie, que adotou o material -desenvolvido pela institui√ß√£o- com conte√ļdos criacionistas.

Segundo a Folha apurou, no início do ano letivo, Haddad percebeu que o modelo estava presente no material didático da filha e, irritado, foi reclamar com a direção do colégio.

A escola confirma que um grupo de pais procurou a unidade, incluindo o ministro. Afirma, porém, que a principal reclamação era a falta de revisão do material, que possuía erros gramaticais.

As apostilas foram utilizadas por uma semana, no início do ano letivo. Após os protestos, foram retiradas de circulação e substituídas por livros didáticos comuns. O mesmo material, porém, continuou a ser utilizado em São Paulo.

"A unidade de São Paulo passou pela revisão, mas os livros não foram retirados porque eles preferiram fazer a errata. A sociedade de Brasília é mais exigente", diz a diretora do Mackenzie de Brasília, Sandra Maria de Paiva.

No ano que vem, as apostilas revisadas voltarão a ser usadas na unidade de Brasília. Mas a implementação será gradativa. Em 2009, só o primeiro ano do fundamental a utilizará. Em 2010, elas também serão usadas pelo segundo ano e assim sucessivamente, até que todas as séries tenham o material.

Pelo sistema, caso a filha do ministro, que irá para o terceiro ano, continue na escola, ela não estudará com as apostilas do sistema Mackenzie. A Folha procurou o ministro, mas sua assessoria informou que ele está de férias.

Fonte: Folha de S√£o Paulo