FG News: Religi√Ķes deveriam ser proibidas, diz cantor Elton John

Postado em: 12-11-2006 O cantor brit√Ęnico Elton John (foto) afirma, em entrevista publicada neste domingo, que as religi√Ķes deveriam ser proibidas por sua falta de compaix√£o e seu √≥dio em rela√ß√£o aos homossexuais. Elton John √© "gay" assumido.

A estrela brit√Ęnica foi entrevistada para uma edi√ß√£o especial "gay" do Music Monthly Magazine da revista The Observer, onde falou sobre v√°rios assuntos, desde sua condi√ß√£o de √≠cone da m√ļsica, at√© a postura do premier Tony Blair sobre a guerra no Iraque.

"Acho que as religi√Ķes sempre tentaram atrair o √≥dio para os homossexuais. Do meu ponto de vista, proibiria completamente as religi√Ķes", declarou, de acordo com a revista.

No momento em que a religião é alvo de forte debate na Grã-Bretanha, centrado no direito de usar o véu muçulmano ou outros símbolos, Elton John reclamou da falta de liderança demonstrada, segundo ele, pelos líderes religiosos.

"As religi√Ķes organizadas n√£o parecem funcionar (...). O mundo est√° √† beira da Terceira Guerra Mundial, e onde est√£o os l√≠deres de cada religi√£o?", questionou.

"Por que n√£o convocam um conclave? Por que n√£o se re√ļnem? Eu j√° disse isso depois (dos ataques) do 11 de Setembro (de 2001), e as pessoas pensaram que eu estava louco. Em lugar de mais viol√™ncia, por que n√£o h√° uma reuni√£o de l√≠deres religiosos?", insistiu.

"√Č como o movimento pacifista dos anos 60. Os m√ļsicos se comunicavam com as pessoas, saindo e fazendo shows pela paz, mas j√° n√£o fazemos mais isso", acrescentou.

"Se John Lennon estivesse vivo, estaria liderando (esse movimento) com vontade", comentou.

O cantor Elton John se queixou do fato de que muita gente protesta na Internet, em vez de tomar as ruas, destacando a efic√°cia das manifesta√ß√Ķes de fevereiro de 2003 contra a invas√£o do Iraque, que mobilizaram milh√Ķes de pessoas no mundo todo.

Sobre sua homossexualidade, o cantor, de 59 anos, que se casou no civil em dezembro passado com seu companheiro h√° tempos, o diretor de cinema canadense David Furnish, disse estar contente de ser considerado a "cara aceit√°vel da homossexualidade".

Também insistiu que continuará sua luta pelos direitos dos "gays" e apoiando causas sobre a Aids. "Não posso cruzar os braços. Além disso, não é minha natureza. Antes de tudo, tenho quase 60 anos. Não posso cruzar meus braços e ignorar (o problema), de modo que não farei isso".

Fonte: AFP