Missões: Grande parte dos cristãos mantém sua fé em sigilo

Postado em: 17-05-2010 As primeiras conversões de turcomanos aconteceram na década de 1990, pelo testemunho da Igreja protestante russa e pelo trabalho missionário. No início, os pequenos grupos de crentes foram formados como uma extensão da Igreja russa, mas logo estabeleceram sua própria identidade cultural.

O grau inicial de liberdade no Turcomenistão logo foi reduzido, e o governo começou a pressionar os cristãos. Muitos cristãos russos deixaram o país por causa do agravamento da situação e, assim, a Igreja ortodoxa sofreu perdas significativas.

Grande parte dos cristãos turcomanos mantém sua identidade religiosa em sigilo.

Como a população é monitorada pelo governo, diferentes grupos de cristãos têm dificuldade em interagir. Isolados e sem materiais e ensinamento, surgem interpretações erradas da Bíblia, heresias e falta de confiança mútua.

A história da Igreja no Turcomenistão foi marcada por mártires no passado, mas atualmente há certa liberdade para a evangelização. Ainda assim, é comum que os cristãos sejam hostilizados pelos muçulmanos e enfrentem muitas restrições por parte do governo.

A maior parte dos templos das igrejas protestantes foi demolida na década de 1990.

Os grupos não registrados são banidos. Da mesma forma, é proibido publicar e distribuir livros cristãos. A importação desse material é censurada, e é necessário ter uma aprovação do Comitê de Assuntos Religiosos para cada item.

Não pode haver Sociedade Bíblica no país e nem livrarias cristãs.

Autoridades, clérigos e a sociedade pressionam os convertidos a voltarem ao islamismo. Isso ocorre de forma mais intensa na zona rural. Abandonar o islamismo significa negar a identidade turcomana. Assim, aqueles que trocam o islamismo pelo cristianismo são acusados de trair a "fé de seus antepassados".

Um cristão comentou com a agência de notícias Forum 18: "Muitas atividades nossas foram proibidas. Não podemos compartilhar nossa fé, nos reunir em prédios públicos, mostrar filmes, trabalhar em hospital ou orfanatos, fazer ação social ou convidar cristãos que moram no exterior para nos visitar.

"Conheço cristãos de outros países que querem nos visitar, mas por cinco vezes lhes recusaram o visto. Sofremos com isso: acabamos sem ensinamento, comunhão e troca de informações".

Pedidos de oração

1. A Igreja turcomana precisa de bases mais sólidas. Ore pelo firme estabelecimento da Igreja no país e para que ela seja capaz de divulgar o evangelho por todo o Turcomenistão, atraindo um grande número de convertidos.

2. A Igreja turcomana precisa trabalhar continuamente para melhorar a sua imagem e conquistar o respeito do povo. Ore e peça novas oportunidades para que os cristãos turcomanos possam criar boas relações entre a Igreja e o governo, talvez por meio de programas de desenvolvimento e de ajuda humanitária.

3. O acesso às Escrituras é restrito. Peça a Deus para que o atual presidente abrande as leis que regem a publicação e importação de livros, a fim de que a Bíblia esteja ao alcance dos cristãos e seus compatriotas.

Fonte: Missão Portas Abertas