Ci√™ncia & Sa√ļde: Estudo da USP: Adolescentes apresentam consumo insuficiente de nutrientes

Postado em: 15-07-2011 A ingest√£o de nutrientes por jovens entre 14 e 18 anos moradores da cidade de S√£o Paulo √© insuficiente, aponta um estudo da Faculdade de Sa√ļde P√ļblica (FSP) da USP.

De acordo com a pesquisa, os 512 adolescentes avaliados apresentaram um consumo inadequado das vitaminas A, C e E, nutrientes que t√™m fun√ß√£o antioxidante no organismo, e dos minerais f√≥sforo, magn√©sio e c√°lcio, respons√°veis pela manuten√ß√£o da sa√ļde √≥ssea.

Se essa ingest√£o inadequada de nutrientes continuar a longo prazo poder√° levar a um risco aumentado para o desenvolvimento de c√Ęncer, doen√ßa card√≠aca e osteoporose. Entretanto, essa constata√ß√£o n√£o √© motivo para a suplementa√ß√£o vitam√≠nica e sim para a ado√ß√£o de uma dieta equilibrada com a presen√ßa de frutas e vegetais‚ÄĚ, aponta o nutricionista Eliseu Verly Junior.

A vitamina A é encontrada no brócolis, vegetais amarelos, como cenoura, e frutas, como mamão e manga, e no ovo; a vitamina C, em frutas cítricas; o fósforo, em carnes e leite; a vitamina E em óleos vegetais; o magnésio, em vegetais verde escuros; e a vitamina B6, no arroz integral, banana, ovos e carnes.

O pesquisador estudou o tema em seu mestrado Preval√™ncia de inadequa√ß√£o da ingest√£o de nutrientes entre adolescentes do munic√≠pio de S√£o Paulo, apresentado √† FSP em dezembro de 2009. O trabalho foi realizado a partir de um estudo maior, denominado Inqu√©rito de Sa√ļde de S√£o Paulo, realizado em 2003 pela FSP e Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) com apoio da Secretaria de Estado da Sa√ļde, da Funda√ß√£o de Amparo a Pesquisa do Estado de S√£o Paulo (Fapesp) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cient√≠fico e Tecnol√≥gico (CNPq). O inqu√©rito foi realizado por meio da coleta de dados nos domic√≠lios e avaliou o consumo de alimentos e as condi√ß√Ķes de sa√ļde da popula√ß√£o.

Renda e escolaridade

Com base na an√°lise dos dados coletados e nas recomenda√ß√Ķes internacionais de consumo de vitaminas e minerais, o pesquisador constatou que a ingest√£o inadequada de nutrientes √© maior em fam√≠lias cuja renda familiar per capita √© inferior a um sal√°rio m√≠nimo. Ao mesmo tempo, quando a renda √© superior a um sal√°rio, Verly Junior observou uma menor ingest√£o inadequada de nutrientes.

Essa mesma tend√™ncia tamb√©m foi observada quando o nutricionista analisou a escolaridade do chefe da fam√≠lia: quando esse apresentava at√© 8 anos de estudo, a ingest√£o inadequada de nutrientes pelos adolescentes era maior. E quando os anos de escolaridade eram superiores a 8 anos de estudo, diminu√≠a o n√ļmero de jovens com ingest√£o inadequada de nutrientes.

Tamb√©m foi constatado no estudo uma elevada ingest√£o de s√≥dio por 99% dos meninos e 86% das meninas. ‚ÄúO limite m√°ximo de ingest√£o di√°ria de s√≥dio √© de 2.300 miligramas, valor encontrado em 6 gramas de sal de cozinha. Apesar de essencial ao organismo, o consumo excessivo de s√≥dio √© prejudicial.‚ÄĚ

No √ļltimo m√™s de maio, foi publicado o artigo Vari√°veis socioecon√īmicas influenciam a preval√™ncia de inadequa√ß√£o entre adolescentes: estudo de base populacional, na revista cient√≠fica Public Health Nutrition, da Inglaterra. Al√©m da autoria de Verly Junior, o texto teve a colabora√ß√£o dos professores da FSP, Chester L. G. Cesar, do Departamento de Epidemiologia, e Regina Mara Fisberg e Dirce Maria Lobo Marchioni, ambas do Departamento de Nutri√ß√£o. Este artigo √© o primeiro estudo brasileiro publicado internacionalmente sobre o tema.

Fonte: Agência USP de Notícias