Ci√™ncia & Sa√ļde: Estresse emocional afeta cora√ß√£o das mulheres mais do que dos homens

Postado em: 25-04-2012 As mulheres t√™m mais chances de apresentarem problemas card√≠acos ap√≥s viverem situa√ß√Ķes estressantes, segundo estudo apresentado nesta ter√ßa-feira (24) na confer√™ncia Biologia Experimental 2012, que est√° sendo realizado em San Diego, nos Estados Unidos.

As doenças coronarianas são a maior causa de morte nos EUA, mas o problema afeta a população de maneira diferente, pois a cada ano mais homens do que mulheres são diagnosticados com o problema.

Outros estudos mostraram que durante a prática de exercício físico o coração dos homens se contrai mais que o das mulheres e isto diminui o fluxo de sangue. Mas as mulheres são mais propensas do que os homens a terem problemas cardíacos após sobressaltos emocionais.

Uma equipe de pesquisadores do Col√©gio de Medicina da Universidade Estadual da Pensilv√Ęnia, liderado por Charity Sauder, realizou um estudo para entender estas diferen√ßas e verificou que o fluxo sangu√≠neo realmente aumenta nos homens durante o estresse mental, mas n√£o se altera nas mulheres.

A pesquisa foi realizada com 17 adultos saud√°veis, oito homens e nove mulheres. Em cada volunt√°rio foi medido o ritmo card√≠aco e a press√£o arterial em descanso, assim como a condut√Ęncia vascular, que verifica por meio de um aparelho de ultrassom o fluxo sangu√≠neo pelas vias coronarianas at√© o cora√ß√£o.

Depois, os volunt√°rios se submeteram a uma prova de tr√™s minutos de aritm√©tica mental na qual os pesquisadores pediram que eles subtra√≠ssem sete de um n√ļmero ao acaso.

Para aumentar o estresse, os cientistas pressionaram os voluntários para realizarem a tarefa rapidamente, e além disso diziam que estavam errados mesmo quando fizeram a conta corretamente.

Ap√≥s a prova, eles foram submetidos mais uma vez √†s tr√™s medi√ß√Ķes card√≠acas. Os testes mostraram que quando estavam em repouso os resultados dos homens e das mulheres n√£o apresentavam grandes diferen√ßas.

Durante a tarefa de aritm√©tica mental todos os volunt√°rios mostraram um aumento do ritmo card√≠aco e da press√£o arterial. Mas enquanto os homens tiveram um aumento da condut√Ęncia coronariana sob estresse, as mulheres n√£o apresentaram mudan√ßas.

Esta diferença, explicou um dos autores do estudo, Chester Ray, poderia predispor as mulheres a problemas cardíacos durante o estresse.

Os resultados foram surpreendentes, acrescentou Ray, já que estudos anteriores indicavam que os homens têm um fluxo de sangue para o coração significativamente menor do que o das mulheres durante a prática de exercício físico. A nova pesquisa poderia explicar por que as mulheres têm mais problemas cardíacos após eventos estressantes, como a morte do marido, por exemplo.

"A redu√ß√£o do estresse √© importante para todos, seja qual for o g√™nero", disse Ray, "mas este estudo mostra que o estresse afeta de maneira distinta os cora√ß√Ķes das mulheres", e por isso o risco delas sofrerem um problema coronariano ap√≥s uma situa√ß√£o traum√°tica √© maior.

A confer√™ncia Biologia Experimental come√ßou na √ļltima segunda-feira (23) e vai at√© amanh√£ (25). O evento, que dever√° atrair 12 mil participantes, √© patrocinado pela Sociedade Fisiol√≥gica dos EUA e outras cinco institui√ß√Ķes cient√≠ficas.

Fonte: EFE