Ciência & Saúde: Baixos níveis de vitamina D estão relacionados com diabetes tipo 1

Postado em: 11-03-2013 Pesquisadores da Harvard School of Public Health (EUA) descobriram que pessoas com níveis adequados de vitamina D podem ter um risco reduzido de desenvolver diabetes tipo 1 na fase adulta.

O estudo foi publicado dia 01 de março no American Journal of Epidemiology e financiado pelo Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame dos Estados Unidos. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 6% da população sofre com o diabetes. Embora o diabetes tipo 1 muitas vezes comece na infância, aproximadamente 60% dos casos ocorre após os 20 anos, afirma o órgão.

Os pesquisadores realizaram o estudo usando amostras de sangue de 310 pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 1 e compararam com amostras de outras 613 pessoas em um grupo de controle. Os dados coletados eram de militares e foram retirados do Repositório de Sangue do Departamento de Defesa do exército norte-americano.

Os resultados mostraram que homens saudáveis com níveis mais altos de vitamina D no sangue tinham cerca de metade do risco de desenvolver diabetes tipo 1 do que aqueles com níveis mais baixos de vitamina D. Segundo os autores, o estudo sugere que a população poderia se beneficiar do aumento da ingestão de vitamina D por meio de suplementação, principalmente pessoas em grupo de risco para diabetes tipo 1, como histórico familiar da doença. No entanto, mais pesquisas precisam ser feitas para definir a necessidade ou não de suplementação de vitamina D.

Aprimore o consumo de vitamina D com sete alimentos
A principal fonte dessa vitamina é a luz solar, que estimula a produção da vitamina por nossa pele. A nutricionista Priscilla Baracat ensina que 10 a 15 minutos de contato com a luz do sol, de duas a três vezes por semana, evitando a exposição entre as 10h e 16h, já são suficientes. A obtenção pela luz do sol é preferível porque os alimentos que contêm quantidades consideráveis de vitamina D também são ricos em gorduras e, por isso, deve-se tomar cuidado com o consumo. A recomendação diária - fornecida pelo U.S. Dietary Reference Intake (DRI) - varia de acordo com a idade e o sexo:

Homens de 13 a 50 anos: 5 a 10 mcg/dia
Homens de 51 aos 70: 15 mcg/dia
Mulheres de 13 a 50 anos: 5 mcg/dia
Mulheres de 51 a 70 anos: 10 mcg/dia.

Fonte: UOL