Ciência & Saúde: Compulsão por compras é doença e tem tratamento, diz psicóloga

Postado em: 25-07-2013 Você costuma sair do shopping cheio de sacolas com coisas que provavelmente nunca vai usar? E sente um misto de prazer e culpa? Cuidado, você pode ter uma compulsão por compras.

Esse foi o tema do programa @saúde desta semana, que traz depoimentos de integrantes do grupo Devedores Anônimos de São Paulo.

Um dos integrantes conta que chegou a gastar R$ 60 mil em uma única viagem, utilizando o cartão de crédito do pai. "Uma hora você compra porque está triste, daí essa tristeza aumenta e você compra para ficar feliz e, mesmo quando está feliz, você começa a comprar", descreve o jovem, revelando o ciclo vicioso da compulsão.

Em entrevista a Jairo Bouer, a psicóloga Tatiana Filomensky, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), explica que o limite entre o gostar de comprar e a compulsão é tênue. Mas o sofrimento que se segue à prática pode definir o comportamento compulsivo. "A dívida não é um critério diagnóstico, porém é presente em 90% dos casos", conta.

Comprar compulsivamente é um transtorno do impulso que muitas vezes está associado a outros problemas, como depressão, ansiedade ou transtorno afetivo bipolar. Por isso, às vezes é necessário o acompanhamento psiquiátrico e o uso de medicamentos. Segundo Filomensky, homens e mulheres podem sofrer da compulsão, mas elas procuram mais ajuda.

Você realmente precisa comprar tudo isso?

Quem alguma vez não passou pela experiência de comprar por impulso e depois ter que lidar com aquele tremendo arrependimento? Bem, seria quase impossível não achar alguém que nunca tenha cometido este deslize, entretanto, há um grupo de pessoas em que isso se tornou um verdadeiro pesadelo. Hoje, são contabilizados mais de 18 milhões de americanos que sofrem com o problema (não existem estatísticas brasileiras).

Atingindo cerca de 3% da população, a compra compulsiva ou “oniomania” faz com que famílias e suas contas bancárias sejam totalmente devastadas.

Talvez seja muito difícil lidar com o apelo que o comércio faz para garantir que seus produtos sejam vendidos, ou seja, através de folhetos, cartazes em shoppings, e-mails, televisão (sem falar nos canais de compra), viramos uma sociedade onde comprar virou sinônimo de recreação. Estamos, na verdade, sempre “dando uma olhada” nas vitrines até que, em alguns casos, este comportamento tenha se tornado incontrolável. E você, como lida com isso?…

Comprando descontroladamente

Uma pessoa só é considerada um comprador compulsivo se é incapaz de controlar o desejo de compra e quando os gastos frequentes se tornam excessivos em sua vida.

Antes de cometer o ato do qual não tem controle, é comum que o consumidor compulsivo apresente grande euforia ou excitação. Já durante a execução da compra, ele(a) experimenta sensações de prazer e muita gratificação. Após a compra, os sujeitos podem experimentar alívio e, em vários casos, muita culpa ou remorso.

Quando, por algum motivo, são impedidos de comprar, estas pessoas costumam relatar sensações de angústia, frustração e irritabilidade.

O comprador compulsivo consome pelo prazer de consumir e não pela real necessidade do objeto, e compra mais produtos relacionados à aparência, como roupas da moda, sapatos, jóias e relógios do que outros produtos.

Podemos traçar um paralelo entre as compulsões por compras e as dependências químicas. Em ambas, há perda de controle e o paciente se expõe a situações danosas para si e também para os outros.

Se você responder “sim” a mais de 4 questões, é bom procurar ajuda

1) Você tem preocupação excessiva com compras?
2) Muitas vezes acaba perdendo o controle e comprando mais do que deveria ou poderia?
3) Já tentou e não conseguiu reduzir ou controlar as compras?
4) Você percebe se faz compras como forma de aliviar a angústia, tristeza ou qualquer outra emoção negativa?
5) Mente para encobrir o descontrole e as quantias que gastou com compras?
6) Tem problemas financeiros causados por compras?

Ah, ia esquecendo: se você percebeu que já perdeu o controle, peça orientação de um profissional. Em uma realidade onde somos constantemente afetados pelas coisas, comprar se tornou uma maneira muito eficaz de anestesiar nossos sentimentos ruins.

Não requer muito esforço encontrar alguém que compra compulsivamente para poder criar alguma perspectiva diária em sua vida. Evidente que, nestes casos, não estamos falando de perda de controle como a oniomania, mas da pura falta de sentido de vida. Assim sendo, fique atento(a) e verifique se você não tem o controle sobre as compras ou se escolhe não se controlar.

Fonte: UOL