FG News: Para vaticanistas, papa 'ignorou realidade brasileira'

Postado em: 19-05-2007 Segundo os analistas, os discursos do papa demonstraram que ele não consegue entender o pluralismo religioso existente no Brasil e o conceito mais abrangente de família, além de não reconhecer o processo sangrento que marcou o início da evangelização na América Latina.

O √ļltimo discurso do papa, na abertura da 5¬™ Confer√™ncia Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe, em Aparecida (SP), foi considerado o pior deles. O papa Bento 16 ignorou a realidade brasileira nos cinco dias de visita ao pa√≠s, na avalia√ß√£o destes especialistas em Vaticano ouvidos pela BBC Brasil.

‚ÄúEle come√ßou dizendo que o Brasil nasceu crist√£o e terminou afirmando que nunca existiu um ataque √† cultura pr√©-colombiana na Am√©rica Latina. A hist√≥ria do genoc√≠dio dos ind√≠genas parece completamente desconhecida por ele‚ÄĚ, disse Ettore Masina, escritor e especialista em assuntos do Vaticano.

Para o vaticanista Giancarlo Zizola, foi ‚Äúuma gafe maior do que a cometida contra os mu√ßulmanos durante viagem √† Alemanha no ano passado‚ÄĚ.

Segundo Zizola, o papa deveria ter pedido desculpas √†s culturas ‚Äúmassacradas pelo cristianismo‚ÄĚ.

‚ÄúSem esta autocr√≠tica, o discurso da Igreja √© fr√°gil, n√£o pode se tornar significativo para o povo latino-americano. O objetivo de ter um contato maior com a Am√©rica Latina √© um projeto que nasce falido.‚ÄĚ

No discurso, Bento 16 disse que ‚Äúo an√ļncio de Jesus e de seu Evangelho n√£o sup√īs, em nenhum momento, uma aliena√ß√£o das culturas pr√©-colombianas, nem foi uma imposi√ß√£o de uma cultura estrangeira‚ÄĚ.

‚ÄėPasso atr√°s‚Äô

O vaticanista Marco Politi considerou o pronunciamento ‚Äúum passo atr√°s em rela√ß√£o √† hist√≥ria‚ÄĚ.

‚ÄúAt√© mesmo Jo√£o Paulo 2¬ļ tinha reconhecido os excessos. N√£o se pode dizer que os povos pr√©-colombianos estavam √† espera do cristianismo. Foi o grande equ√≠voco desta viagem.‚ÄĚ

Para Masina, Bento 16 escuta apenas o que dizem integrantes de movimentos eclesiais conservadores, como Opus Dei e Legion√°rios.

‚ÄúEles lhe asseguram fidelidade absoluta e, ao mesmo tempo, imp√Ķem suas teologias‚ÄĚ, afirmou.

Numa compara√ß√£o com as tr√™s viagens feitas por Jo√£o Paulo 2¬ļ ao Brasil, Giancarlo Zizola diz que Bento 16 fez a visita com a mentalidade voltada para a Europa e, em conseq√ľ√™ncia, acabaram faltando elementos como sensibilidade, emo√ß√£o, alegria e entusiasmo.

Imagem pessoal

Apesar disso, alguns analistas acreditam que com a visita ao Brasil, o papa possa ter suavizado a imagem severa associada a ele no início do seu pontificado.

Marco Politi disse esperar que os brasileiros tenham entendido que Bento 16 é uma pessoa tímida, mas muito doce, que se esforça para agradar.

Já Vincenzo Pace, professor de Sociologia da Religião da Universidade de Pádua, acredita que o papa Bento 16 não se esforçou para mudar a imagem do teólogo frio, defensor da fé, que fala mais à mente que ao coração.

Na avalia√ß√£o do soci√≥logo, os discursos do papa sobre a fam√≠lia, aborto e castidade fora do casamento foram in√ļteis. Ele argumenta que para os brasileiros, a concep√ß√£o de fam√≠lia √© diferente daquela tradi√ß√£o cat√≥lica europ√©ia.

Pace lembra que muitas mulheres s√£o chefes de fam√≠lia, t√™m dois ou tr√™s filhos com diferentes pais. ‚ÄúS√£o comportamentos h√° muito tempo difundidos, que √© dif√≠cil pensar em mudar‚ÄĚ, afirmou.

Além disso, o governo brasileiro tem uma política de distribuição maciça de camisinhas, que conta com apoio da população e o discurso de castidade serve apenas a uma pequena minoria.

Pace, que tamb√©m √© presidente da Sociedade Internacional de Sociologia da Religi√£o e esteve in√ļmeras vezes no Brasil, diz que muitas das palavras do papa n√£o ter√£o eco entre brasileiros.

‚ÄúEle precisa levar em considera√ß√£o que, al√©m do mito do catolicismo como religi√£o fundamental, os brasileiros t√™m um esp√≠rito pluralista‚ÄĚ, disse. ‚ÄúAo mesmo tempo em que v√£o a missas, freq√ľentam pais e m√£es de santo e, dependendo do problema, v√£o √† Igreja kardecista tamb√©m. √Č uma realidade que n√≥s na Europa desconhecemos.‚ÄĚ

Segundo os especialistas em Vaticano, a viagem deixou muito clara a intenção deste papado de restabelecer a doutrina e que o princípio da autoridade da Igreja e do papa não deve ser colocado em discussão.

Fonte: BBC Brasil