FG News: Movimento evang√©lico defende temas como aborto, direitos para gays e toler√Ęncia religiosa

Postado em: 25-09-2015

Eles defendem bandeiras como toler√Ęncia religiosa, direitos civis para homossexuais, flexibiliza√ß√£o da pol√≠tica de drogas e descriminaliza√ß√£o do aborto. Tudo isso, asseguram, em nome de Deus. Evang√©licos est√£o se mobilizando para dar visibilidade a iniciativas progressistas do universo crente, cuja pluralidade, afirmam, n√£o se traduz por manifesta√ß√Ķes conservadoras que v√™m sendo associadas a essas religi√Ķes.

‚ÄĒ A postura conservadora n√£o √© algo uniforme, mas tem vencido o discurso de quem tem recursos para vociferar melhor, o que acaba passando uma impress√£o errada sobre os evang√©licos ‚ÄĒ avalia Clemir Fernandes, pastor da Igreja Batista e soci√≥logo.

Uma das primeiras iniciativas ser√° uma plataforma virtual que quer colocar em evid√™ncia a√ß√Ķes evang√©licas na √°rea de cidadania e direitos humanos em todo o Brasil. O projeto mapear√° atividades progressistas desenvolvidas por pastorais e formar√° uma rede de articula√ß√£o. Deve se chamar Entre N√≥s e entrar no ar at√© dezembro.

‚ÄĒ A ideia √© fazer uma esp√©cie de contraprojeto √† identidade evang√©lica que vem sendo desenhada. Movimentos sociais e at√© pol√≠ticos t√™m nos cobrado essa rea√ß√£o. N√≥s acreditamos que a defesa de pautas conservadoras √© ideol√≥gica e, n√£o, b√≠blica ‚ÄĒ afirma Fellipe dos Anjos, pastor da Igreja Batista e um dos jovens te√≥logos √† frente do projeto.

‚ÄĒ Nossa intens√£o √© provocar a sociedade e a imprensa em rela√ß√£o a essas iniciativas progressistas. Os evang√©licos sempre fizeram isso, mas precisamos tornar essas a√ß√Ķes conhecidas ‚ÄĒ completa Ronilso Pacheco, estudante de teologia da PUC-Rio.

Al√©m da plataforma, h√° projetos por germinar. Cursos de forma√ß√£o, grupos de estudo e discuss√£o e um canal de imprensa para divulgar conte√ļdo desenvolvido por evang√©licos progressistas est√£o entre os planos.

Tamb√©m pastor batista, Andr√© Decotelli diz que a proposta √© entrar numa ‚Äúdisputa de discurso‚ÄĚ. A chamada bancada evang√©lica no Congresso, assegura, n√£o o representa:

‚ÄĒ Sou totalmente contra as pautas que eles defendem como evang√©licas. Esses deputados e senadores n√£o reproduzem o nosso espectro. Representam classes mais conservadoras e poderosas. Por√©m, Jesus foi um revolucion√°rio e deu voz aos oprimidos. Buscamos um retorno a isso.

O movimento encontra simpatia mesmo entre membros de denomina√ß√Ķes pentecostais. Pastor da Assembleia de Deus, C√©sar Mois√©s aprova a discuss√£o.

‚ÄĒ N√£o me rotulo nem como conservador nem como progressista ‚ÄĒ autoavalia-se, dizendo ser contra a redu√ß√£o da maioridade penal e a favor do di√°logo com religi√Ķes de matriz africana.

Para ele, quest√Ķes como a descriminaliza√ß√£o do aborto merecem ser discutidas:

‚ÄĒ Numa sociedade plural, temos de conviver e respeitar. Aprendi que, para dialogar, n√£o √© preciso converter.

Evang√©licos citam exemplos na Hist√≥ria brasileira recente do envolvimento de crentes em iniciativas progressistas. Uma delas √© a cria√ß√£o, em 2006, da Rede Evang√©lica Nacional de A√ß√£o Social (Renas), que re√ļne organiza√ß√Ķes e igrejas evang√©licas com atua√ß√£o na promo√ß√£o e na defesa dos direitos humanos. Membro da rede, Sueli Catarina de Carvalho, da Igreja Anglicana do Brasil, tamb√©m defende que a pluralidade de opini√Ķes das igrejas se torne vis√≠vel.

‚ÄĒ Deus ama as pessoas, sem distin√ß√Ķes. Venho do movimento de mulheres. Sou a favor da descriminaliza√ß√£o do aborto, por acreditar que mulher alguma faz essa op√ß√£o de forma tranquila e que se trata de uma quest√£o de sa√ļde p√ļblica ‚ÄĒ opina.

Membro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil, Lusmarina Campos Garcia concorda:

‚ÄĒ Historicamente, protestantes t√™m posi√ß√Ķes avan√ßadas. Em um contexto democr√°tico, a descriminaliza√ß√£o do aborto √© absolutamente necess√°ria. N√£o concordo com a redu√ß√£o da maioridade penal, por achar que criminalizar jovens n√£o resolve a viol√™ncia. E espero que a gente consiga caminhar na dire√ß√£o de mostrar que homossexuais s√£o t√£o criados √† semelhan√ßa de Deus quanto heterossexuais.

Fonte: O Globo