Ci√™ncia & Sa√ļde: Para OMS, programas de combate ao Aedes entraram em 'colapso'

Postado em: 11-04-2016

A Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) alerta que os programas de combate ao mosquito Aedes aegypti entraram em "colapso" e que a crise do v√≠rus da zika mostra que governos ter√£o de garantir esgotos adequados em favelas. Em um discurso nesta sexta-feira, 8, em Genebra, a diretora da OMS, Margaret Chan, insistiu que a atual emerg√™ncia global est√° ligada √† pobreza e falta de investimentos.

"A emerg√™ncia da zika est√° ilustrando um novo pacote de vulnerabilidades ligadas ao desenvolvimento inadequado da sa√ļde", disse. "Ou seja, um acesso ruim √† servi√ßos de sa√ļde sexual e reprodutivo, a falta de √°gua encanada e saneamento em favelas urbanas, al√©m do colapso global dos programas de controle de mosquitos."

No Brasil, o ministro da Sa√ļde, Marcelo Castro, declarou em janeiro que o pa√≠s estava perdendo a guerra contra o mosquito. A presidente Dilma Rousseff o desautorizou no dia 27 de janeiro: "N√£o estamos perdendo n√£o". Mas, dois dias depois, ela mudaria o tom. "N√≥s estamos perdendo a luta contra o mosquito. N√£o vou dizer que estamos ganhando, mas n√≥s vamos ganhar esta guerra", disse a presidente.

Zika e microcefalia

Na semana passada, o jornal O Estado de S. Paulo revelou com exclusividade que a OMS abandonou sua hesita√ß√£o em rela√ß√£o ao impacto da zika na m√°-forma√ß√£o de embri√Ķes e declarou que j√° existe um "forte consenso" sobre a liga√ß√£o com a microcefalia.

Em novos dados apresentados nesta semana, a entidade aponta que a prolifera√ß√£o continua. No total, casos j√° foram identificados em 62 pa√≠ses desde 2007. Em seis pa√≠ses, a OMS identificou casos suspeitos de microcefalia em beb√™s que tiveram suas m√£es contaminadas pelo v√≠rus. Al√©m do Brasil, os casos suspeitos est√£o j√° na Col√īmbia, Panam√°, Cabo Verde, Martinica e Polin√©sia Francesa.

A OMS admite que ainda n√£o encontrou uma nova forma de lidar com o vetor da doen√ßa. Nas √ļltimas semanas, Genebra tem sido palco de uma prolifera√ß√£o de reuni√Ķes entre especialistas para tentar identificar novas metodologias, como a de colocar no meio ambiente mosquitos geneticamente modificados.

Fonte: Estad√£o