Missões: A situação é delicada para a igreja no México

Postado em: 15-09-2016

A violência está alcançando um nível cada vez mais alto, há crise humanitária no país e o número excessivo de migrantes tem sido um grande desafio para os cristãos.

O cenário mexicano para a liberdade religiosa não é nada animador. A violência está alcançando um nível cada vez mais alto, há crise humanitária no país e o número excessivo de migrantes tem sido um desafio para a igreja no México. Há também relatos de inúmeras manifestações contra o governo, o que tem ocasionado muitos ataques mortais. No mês de julho, Domingo López González, um defensor da liberdade de religião e prefeito de San Juan Chamula, foi assassinado na praça principal da cidade, juntamente com quatro membros de sua equipe.

Os cinco homens morreram na frente de cerca de 2 mil pessoas que estavam nas ruas, reclamando sobre a atuação política do prefeito. Na mesma noite, prefeitos de outras três cidades vizinhas do Estado de Chiapas também foram assassinados. Antes do incidente, Gonzáles havia se comprometido a "erradicar a intolerância religiosa", e durante sua campanha eleitoral, em 2015, falou muito sobre o assunto.

San Juan Chamula é conhecida por sua violência e agitação social. Trata-se de uma fortaleza indígena, onde é intolerável qualquer oposição às tradições do povo. Até mesmo o espaço onde era para ser uma igreja local, é usado pelos líderes indígenas para a realização de rituais pagãos. Nessa região, quem se converte ao cristianismo enfrenta todo tipo de violência e hostilidade. Ore pela igreja no México, 40º país na atual Classificação da Perseguição Religiosa e interceda pelos cristãos perseguidos.

Fonte: Portas Abertas