Missões: Mais de 150 mil cristãos exigem a liberdade de Asia Bibi, no Paquistão

Postado em: 28-09-2016 Imagem redimensionada

Organizações cristãs estão intensificando a pressão sobre o governo do Paquistão para absolver a cristã Asia Bibi e revogar as leis de blasfêmia draconianas do país.

Enquanto o julgamento de seu apelo se aproxima em outubro, a organização 'Release International' está clamando para que Bibi seja absolvida.

A mulher era funcionária de uma fazenda e foi condenada à morte por ter cometido o crime de blasfêmia, após uma discussão com colegas muçulmanas, que a julgaram impura para beber da mesma água que elas. Bibi está no corredor da morte desde 2009 e sua família foi forçada a se esconder.

O apelo será ouvido pelo Supremo Tribunal de Lahore, no Paquistão.

A 'Release International' está convocando as pessoas a assinarem sua petição para que o primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif revogue as leis de blasfêmia, que já levaram diversos cidadãos paquistaneses à prisão e até mesmo à morte.

Mais de 150.000 cristãos também assinaram uma outra petição da organização "Mercy", exigindo a liberdade da cristã.

A 'Release International', que busca defender os cristãos perseguidos em todo o mundo, apelou ao primeiro-ministro do Paquistão, que revogasse as leis de blasfêmia, que "são muitas vezes invocadas para se vingar, incitar ataques violentos e eliminar rivais".

O executivo-chefe da organização cristã, Paul Robinson disse: "Nós pedimos ao governo do Paquistão para abolir as leis de blasfêmia e procuramos criar uma sociedade, na qual cada cidadão paquistanês seja livre para exercer sua fé e viver em paz com seus vizinhos".

Muitos outros, além Bibi foram alvo das leis de blasfêmia no Paquistão.

Famílias foram assassinadas, cristãos foram expulsos de suas casas e até mesmo fuzilados, apesar de os os tribunais rejeitarem as acusações.

Um clérigo muçulmano ofereceu 500.000 rúpias - cerca de 5.200 dólares - para quem assassinasse Bibi, informou a Release.

Líderes anglicanos em todo o mundo também intensificaram a pressão para salvar a vida de Bibi, conforme a Agência de Comunicação da Comunhão Anglicana relatou.

Membros da recente reunião do Conselho Consultivo Anglicano em Lusaka aprovaram uma resolução, pedindo que Bibi fosse absolvida.

Shunila Ruth, que integra o conselho para o Paquistão, que discutiu a questão com o arcebispo de Canterbury, quando ela visitou Londres, disse que as leis de blasfêmia do Paquistão são "desumanas".

Fonte: Guia-me